FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Considerada a mais antiga instituição cultural do estado, a Biblioteca Pública de Santa Catarina (BPSC) chega aos seus 168 anos de criação no próximo dia 31 de maio e, para comemorar, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) promove uma agenda especial com atividades gratuitas abertas à participação da comunidade. O calendário começa no dia 24 de maio e conta com exposição, oficinas, bate-papos sobre literatura, visitas guiadas com contação de histórias, lançamento de livro e exibição de vídeo.

No dia da celebração do aniversário, 31,  será reaberto ao público o setor de Obras Raras, no 3º andar da BPSC, que estava fechado para reformas. 

 

 

Confira a programação completa:


Momento bastante esperado pelo público e artistas da área, será aberta na próxima segunda-feira (9), às 19h, a exposição com as obras vencedoras do 11º Salão Nacional Victor Meirelles, no Museu de Arte de Santa Catarina (MASC). Trabalhos dos 25 artistas selecionados serão colocadas para a visitação do público com entrada gratuita até 3 de julho de 2022.

Dos trabalho selecionados entre os 560 inscritos de todo o país, destacaram-se as obras fotográficas "Cosmografia", de Amanda Melo da Mota Silveira (SP); e "Não consigo respirar" e "Pavor Negro", de Sérgio Adriano Dias Luiz (SC), primeiras colocadas com a mesma pontuação, que receberão o prêmio de aquisição no valor de R$ 20 mil.

A exemplo das edições mais recentes do Salão, nesta dois artistas serão homenageados com salas dedicadas especialmente às suas obras: João Otávio Neves Filho, o Janga (1946-2018); e Carlos Asp. A curadoria da exposição é assinada por Juliana Crispe.

Artistas participantes

Aline Brune (Salvador-BA)
Amador e Jr. Segurança Patrimonial LTDA (Rio de Janeiro-RJ)
Amanda Melo da Mota (São Paulo-SP)
Bruno Faria (São Paulo-SP)
Bruno Novaes (São Paulo-SP)
Carlos Asp (Viamão-RS)
Claudia Zimmer (Blumenau/SC)
Djuly Gava (Florianópolis-SC)
Fran Favero (Florianópolis-SC)
Jan M.O (Joinville-SC)
Kaue Garcia (Campinas-SP)
Lia Cunha (Salvador-BA)
Luana Navarro (Curitiba-PR)
Luiza Baldan (Rio de Janeiro-RJ)
Morena (Brasília-DF)
Mônica Vaz (Belo Horizonte-MG)
Milla Jung (Curitiba-PR)
Noara Quintana (Florianópolis-SC)
Priscila Rezende (Belo Horizonte/MG)
Rafa Black (São Paulo-SP)
Raquel Stolf (Florianópolis-SC)
Rodrigo Zeferino (Ipatinga/MG)
Romy Huber (Itajaí-SC)
Rudolfo Auffinger e Keythe Tavares (Joaçaba/SC)
Sérgio Adriano H. (Joinville-SC)

Membros da Comissão de Avaliação

Paulo Miyada
Fernanda Magalhães
Ricardo Resende
Luciara Ribeiro
Cristiana Tejo
Juliana Crispe

Sobre o 11º Salão Nacional Victor Meirelles

Com inscrições abertas entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022, esta edição 11º Salão Nacional Victor Meirelles recebeu 560 inscrições vindas de todas as regiões do país, sendo que 406 foram habilitadas para a etapa final e 25 selecionadas como vencedoras. Criado em 1993 e voltado às artes visuais, o concurso realizado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) tem valor total de R$ 215 mil. As duas obras melhor colocadas receberão, ainda, R$ 20 mil cada pela aquisição. Foram contempladas proposições de trabalhos artísticos nas modalidades de Desenho, Escultura, Fotografia, Gravura, Instalação, Objeto, Performance, Pintura, Videoarte, outras mídias contemporâneas e novas tecnologias.

O Salão homenageia o artista catarinense Victor Meirelles de Lima, nascido em Nossa Senhora do Desterro, atual Florianópolis, em 1832 e falecido no Rio de Janeiro, em 1903. Foi pintor, desenhista e professor. Estudou na Academia Imperial de Belas Artes, na cidade do Rio de Janeiro. Em Paris, pintou sua obra mais conhecida “Primeira Missa no Brasil”, exposta pela primeira vez no Salão de Paris, de 1861.

Sobre os vencedores do prêmio de aquisição

Escudo Amanda MeloCosmografia - Amanda Melo da Mota Silveira: a série de cinco fotografias está vinculada a encontros com rezadeiras, coletivo de mulheres e grupos que celebram solstícios e equinócios, realizados nos sítios arqueológicos e monumentos megalíticos da Ilha de Santa Catarina, em Florianópolis, ocorridos durante três anos. A pesquisa procurou investigar um dos mais ricos acervos rupestres do planeta, contendo 65 sítios arqueológicos com centenas de inscrições e também dezenas de sítios com pedras orientadas. As pedras, possivelmente serviam como calendários astronômicos aos primeiros habitantes da região, cuja ocupação iniciou-se cerca de 5 mil anos atrás. Algumas dessas inscrições rupestres estão propositalmente alinhadas aos diferentes locais onde o sol nasce nas mudanças de estação. É provável que os povos originários usassem esse calendário para uma série de atividades cotidianas como a pesca, plantio, colheita, caça e para rituais de fertilidade. As fotografias trazem para hoje as relações de um pensamento mítico, perpassado por narrativas e oralidades estreitamente alinhadas com pensamentos filosóficos do agora, permitem acessar uma realidade via conservação de descobertas transmitidas por ancestralidades perdidas, de geração em geração, em narrativas que não podem deixar de existir para a garantia de transmissão de novos estados de vida.

Sergio Adriano SNVM

Não consigo respirar e Pavor Negro - Sérgio Adriano Dias Luiz:  com base em um fato histórico altamente significativo, o primeiro marco oficial do descobrimento do Brasil, no ano de 1501, as obras buscam entender como foi o início da colonização do Brasil, desconhecidos por muitos já que a historiografia nem sempre é a verdadeira, e tentar compreender como chegamos até aqui, uma busca pelo descolonialismo. Os livros História do Brasil propõem pensar nas histórias ausentes, no que foi amordaçado, as palavras não ditas, palavras tomadas. Dar voz ao que foi calado. São livros que lidam com as fronteiras entre a história social ocultada e a história que foi apresentada, numa proposta de um “P.S.” (post scriptum).

 

 

 

 

Sobre os homenageados

João Otávio Neves Filho, conhecido como Janga (1946 - 2018), teve forte ligação com a arte e a cultura, com vasto currículo no campo das artes visuais, curadoria de exposições, crítica, divulgação e promoção da arte catarinense, em especial, a de Florianópolis. Foi o idealizador da galeria de artes Casa Açoriana: Artes e Tramoias Ilhoas em 1985 de Santo Antônio de Lisboa. Também foi membro do Conselho Estadual de Cultura.

Carlos Roberto Carneiro Asp, ou Carlos Asp (1949), é natural de Porto Alegre (RS), onde expôs pela primeira vez suas gravuras aos 17 anos. A maior parte de sua carreira, no entanto, ocorre em Santa Catarina, onde atua há mais de 40 anos. A partir dos anos 1970, participou de exposições e salões de arte em diversas cidades do país. Também foi professor do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Serviço:

O quê: Exposição do 11º Salão Nacional Victor Meirelles
Abertura: 9 de maio de 2022, às 19h
Visitação: até 3 de julho de 2022. De terça-feira a domingo, das 10h às 21h.
Onde: Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) - Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita
Classificação indicativa: livre*
(Exceto para a Sala de Vídeo, na qual a classificação indicativa é 18 anos)

Neste domingo (22), às 20h, o Teatro Ademir Rosa recebe os amantes dos Beatles para uma noite de show em homenagem à banda inglesa. Beatles 4Ever é um espetáculo musical que conta em detalhes a trajetória dos quatro rapazes de Liverpool.

Fundada em 1976, a banda passou cerca de quatro anos formatando o espetáculo com pesquisas, ensaios e toda a produção de cenários, figurinos e instrumentos. Estreou em São Paulo, no Teatro Procópio Ferreira em 1980, sendo a primeira banda cover a surgir no Brasil, e seu exemplo foi seguido por inúmeras outras bandas do cenário musical nacional.

Desde a sua criação, o Beatles 4Ever já se apresentou em todo o território nacional e parte da América do Sul, ultrapassando a marca de 10 mil shows. A banda se apresentou no Teatro Crowne Plaza em São Paulo por oito anos e meio, sendo a banda cover brasileira de maior permanência em cartaz ininterruptamente. 

As apresentações começam com a fase Beatlemania, marcada pelos icônicos cortes de cabelo e ternos pretos usados pelos Beatles. Composta por músicas dançantes, incluindo grandes hits como "She Loves You", "Twist  And Shout",  "All My Loving" e "A Hard Day's Night". O amadurecimento musical dos Beatles tem início com o lançamento do álbum, filme e single "Help", marcado também pelo primeiro show em estádio aberto da história, no Shea Stadium em Nova Iorque, onde utilizaram suas jaquetas beges. Nesta fase é apresentada a canção "Yesterday", a música mais regravada de todos os tempos. 

A evolução musical dos Beatles é marcada pela fase Psicodélica, tendo seu auge com o álbum "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" e com o desenho Yellow Submarine. Neste momento, as cores tomam conta do espetáculo, com o uso das fardas, interpretações e músicas divertidas, como "Lucy In The Sky With Diamonds", "Hello Goodbye" e "Penny Lane". 

Serviço:

O quê: Show Beatles 4ever
Quando: 22/05/2022, às 20h
Onde: Teatro Ademir Rosa - Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Ingressos à venda no site Blueticket 

 Atenção: será exigido comprovante de vacinação contra Covid-19

:: Confira os protocolos

Neste sábado (21), às 20h e às 22h, o Teatro Ademir Rosa recebe o show de stand up comedy de Bruna Louise. A humorista se apresenta em show solo, no qual destaca assuntos do universo feminino, subvertendo a lógica tradicional do humor.

Somando mais de 1,5 milhões de seguidores no Instagram e quase 2 milhões de inscritos em seu canal no YouTube, a comediante chega sem papas na língua para falar as verdades não ditas do universo feminino e quebrar tabus sobre a sexualidade da mulher.

Serviço:

O quê: Stand up comedy de Bruna Louise
Quando: 21/05/2022, às 20h - Sessão extra às 22h
Onde: Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Ingressos à venda no site Blueticket

Atenção: será exigido comprovante de vacinação contra Covid-19

:: Confira os protocolos

O Teatro Pedro Ivo será palco, nesta sexta-feira e sábado (21 e 22), do evento "Final Internacional Matrix Dance". As apresentações começam às 13h. 
 
Da Argentina para Florianópolis, o evento é um grande espetáculo com apresentações de diversos shows, danças e ritmos. Patricipação de grupos de Argentina, Chile, Paraguai e Brasil em uma competição de todas as disciplinas de dança.
 
Serviço:

O quê: Final Internacional Matrix Dance
Quando: 21 e 22/05/2022, a partir das 13h
Onde: Teatro Pedro Ivo - Localizado no Centro Administrativo do Governo do Estado de Santa Catarina
Classificação indicativa: Livre
Informações: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.