FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Como forma de homenagear aquele que durante 25 anos foi o responsável por transformar a sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura em referência da sétima arte no estado, o espaço localizado em Florianópolis agora leva o nome de Gilberto Gerlach. A lei nº 18.201, de 13 de setembro de 2021, que prevê a alteração, foi sancionada pelo governador Carlos Moisés da Silva e publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (14).

Gerlach faleceu no último dia 6 de maio, aos 77 anos, em sua casa na cidade de São José, na Grande Florianópolis. Servidor aposentado da FCC, foi o criador do Cineclube Nossa Senhora do Desterro, que funcionou no CIC entre 1984 e 2009, e responsável pela programação de grandes filmes da história mundial exibidos no local.

Biografia

Escritor, pesquisador e cinéfilo, Gilberto Gerlach ocupava também a cadeira 17 da Academia Catarinense de Letras (ACL). Por cerca de 34 anos foi servidor da FCC, instituição pela qual se aposentou em 2013.

Referência na área cinematográfica do Estado, Gerlach criou em 1968 o Cineclube Nossa Senhora do Desterro, que funcionou no CIC até 2009, quando o espaço foi fechado para uma grande reforma. O Cineclube foi responsável por exibir filmes fora de circuito comercial, além de cópias raras em 35 mm de grandes filmes da história mundial do cinema.

Como pesquisador e escritor, Gerlach é autor de livros que ajudam a contar a história catarinense com o uso de materiais fotográficos raros, como as obras São José da Terra Firme (2007), Desterro (2010), Ilha de Santa Catarina - Florianópolis (2015) e Colônia Blumenau no Sul do Brasil (2019).

O Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS-SC) e o Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC) estão recebendo solicitações de pautas para eventos a serem realizados a partir de 18 de outubro de 2021, data prevista para a reabertura dos espaços. Interessados em fazer os pedidos devem preencher o formulário disponível aqui, onde também estão mais informações sobre a forma de seleção.

Ambos os espaços estão localizados no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, e foram fechados ao público em março de 2020 devido ao estado de calamidade provocado pela pandemia de Covid-19. A realização dos eventos a partir de outubro dependerá, ainda, da liberação dos órgãos de saúde e Vigilância.

O Centro Integrado de Cultura (CIC) estará com iluminação especial até o dia 06 de junho. As cores representam a bandeira da Itália e marcam a realização do evento Mia Cara, ocorrido em Florianópolis em anos anteriores com espetáculos no Teatro Ademir Rosa e Teatro Álvaro de Carvalho (TAC). Neste ano, a programação será totalmente online e gratuita. 

O Mia Cara é um festival, idealizado pelo Consulado Geral da Itália em Curitiba (que compreende os estados de Santa Catarina e Paraná), e tem por objetivo de aproximar brasileiros, italianos e seus descendentes com o melhor de Itália moderna, do século 21, sem esquecer a rica história do país.

Com o tema “Viva a Itália em sua Casa”, o Festival Mia Cara 2021 acontecerá de 24 de maio a 06 de junho. Durante duas semanas oferecerá uma rica programação cultural, ações de gastronomia e turismo e uma grande homenagem ao escritor Dante Alighieri. Entre os grandes destaques do Mia Cara 2021 estão o concerto lírico com o tenor Vitorio Scarpi e as sopranos Ana Paula Machado e Ornella de Lucca e a Mostra de Cinema Italiano, com a exibição gratuita de clássicos e da produção contemporânea cinematográfica italiana.

Como 2021 é o Ano Comemorativo do Bicentenário de Nascimento de Anita Garibaldi, a partir do dia 27 de maio estará disponível o filme Anita e Garibaldi, de Alberto Rondalli. Vale destacar que o Consulado Geral da Itália em Curitiba integra a Comissão Comemorativa do Bicentenário de Anita Garibaldi.

 

A partir deste sábado, 09 de janeiro, o curso de Cinema da Unisul retoma as sessões virtuais de cinema. As exibições serão realizadas aos sábados às 20h. 

:: Clique aqui para acessar o canal do Cinema Unisul

Confira a programação: 

Sessão 01 - 09/01
Ilha 70 

Direção: Marco Martins e Loli Menezes
Duração: 15min
Sinopse: Ilha 70 é uma série de documentários que reconta a agitada década de 70 em Florianópolis, através do olhar da juventude da época. O mundo fervia em transformações comportamentais, estéticas e políticas e a geração 70 de Floripa deu sua resposta particular: abriu olhos, ouvidos e mentes pacatas para o futuro que se anunciava. Turma do Kioski, Moda, Música, Palhostock, Beto Stodieck, Estúdio A2, Surf, Joaquina, Doces Bárbaros, Prata Palomares, Ditadura, Novembrada...um período de fatos e personalidades alucinantes vivendo em uma cidade que se transformava rapidamente com o desenvolvimento urbano.Os três episódios de Ilha 70 são apresentados como uma colagem pop dinâmica, cheia de cores e texturas setentistas, entrevistas com gente que fez e aconteceu, grafismos e raros materiais de arquivo, embalados ao ritmo pulsante do rock. Ilha 70 recupera um trecho importante da história de Florianópolis que explica muito do que a cidade é hoje. Passado e presente dialogam em uma narrativa ágil, moderna e emocionante.
Classificação Indicativa: Livre

Sessão 02 - 16/01
A Tainha e a Onda (2016)

Direção: Carlos Portella
Duração: 60 minutos
Sinopse: O outono chega e com ele vêm as tainhas e as melhores ondas do ano no estado de Santa Catarina. Uma época que seria apenas de alegrias se não fosse um impasse histórico entre surfistas e pescadores. Um choque de culturas. O documentário “A Tainha e a Onda” é um mergulho nos mundos da pesca e do surfe na busca para entender o problema e suas soluções.
Classificação Indicativa: Livre
Link: https://www.youtube.com/watch?v=DCZjNDL4Rg0&feature=youtu.be

Sessão 03 -  23/01
As Rendas de Dinho (2019)

Direção: Adriane Canan
Duração: 25 minutos
Sinopse: No Armazém da Renda, a voz grave se destaca entre batidas suaves dos bilros. É Dinho Rendeiro. Ainda rapaz pequeno, nos anos 1960, ele desafiou regras da vila de pescadores onde nasceu. Os meninos iam para alto-mar e herdavam dos pais a lida da pesca. Dinho, escondido, aprendia a rendar com uma prima. Saiu de seu lugar. Rodou mundo. Foi muitas coisas. Hoje está de volta ao Pântano do Sul e agora o centro de seu mundo é, enfim, a renda de bilro.
Classificação Indicativa: 12 anos  
Link: https://www.youtube.com/watch?v=QcAD1uNVWlE&feature=youtu.be

Sessão 04 - 30/01
Celibato no Campo (2010)

Direção: Cassemiro Vitorino e Ilka Goldschmidt
Duração: 52 minutos
Sinopse: A intensa migração de jovens filhos de agricultores para as cidades, sobretudo de jovens mulheres, que saem para estudar e dificilmente retornam às propriedades rurais, faz surgir um novo fenômeno social: o celibato masculino no campo. O documentário aborda as razões do aparecimento deste fenômeno que se configura como a masculinização do campo e que tem como consequência a diminuição do número de casamentos e o envelhecimento no meio rural.
Classificação Indicativa: Livre
Link: https://www.youtube.com/watch?v=bs2S4O7rizM&feature=youtu.be

Sessão 05 -  06/02
Do que te lembras Maria? (2016)

Direção: Mara Salla
Duração: 15 min
Sinopse: Maria, uma menina de 12 anos, assiste a um estranho fenômeno no céu que a deixa com uma doença estranha por 2 anos. Uma curandeira dá pra menina uma beberagem e Maria fica curada. Fatos estranhos são revelados e colocam em dúvida toda a história vivida pela menina.
Classificação Indicativa: Livre  

A partir deste sábado, 11 de abril, o curso de Cinema da Unisul retoma as sessões que realiza semanalmente na sala de cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), porém, exibindo filmes no canal do curso no YouTube.

As sessões serão realizadas aos sábados às 20h. A sessão de estreia exibe quatro filmes feitos pelos estudantes do curso. 

Os filmes ficarão disponíveis até as 14h de cada segunda-feira seguinte às exibições.

Essa iniciativa é uma alternativa para manter as sessões que são realizadas há quatro anos por meio de uma parceria entre Unisul e Fundação Catarinense de Cultura (FCC). Elas foram suspensas desde dia 16 de março, conforme determinações das autoridades da área da saúde que manifestaram a necessidade de isolamento social.