FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

ATENÇÃO:  As sessões do Cineclube Infantil foram canceladas por todo o mês de março, a partir do dia 14 de março, por iniciativa da organização da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, realizadora da iniciativa. Os cancelamentos se devem à proibição, por parte da Prefeitura Municipal de Florianópolis, da realização de eventos com mais de 100 pessoas em ambientes fechados, com o objetivo de evitar a disseminação do novo coronavírus.

O Cineclube Infantil leva semanalmente filmes voltados ao público infantil à sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC). As sessões ocorrem sempre aos sábados, às 16h, com entrada gratuita. A realização é uma parceria da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), administradora do espaço, com curadoria da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis.

Programação de março:

Dia 7 de março:

turma da monicaTurma da Mônica: Laços
Direção: Daniel Rezende
Gênero: Ficção
País: Brasil
Ano: 2019
Duração: 1h37min
Sinopse: O Floquinho desaparece. Para encontrar seu cachorro de estimação, Cebolinha conta com os amigos Cascão, Mônica e Magali e, claro, um plano infalível.

 

EVENTOS CANCELADOS:

Dia 14 de março:

kirikuKiriku – Os Homens e as Mulheres
Direção: Michel Ocelot
Gênero: Animação
País: França
Ano: 2015
Duração: 88 min
Sinopse: O Homem Sábio da Montanha Proibida conta histórias do heróico Kiriku, que desde a infância sempre esbanjou coragem, inteligência e agilidade. Vivendo em uma aldeia ao lado de sua mãe,  Kiriku era capaz de solucionar qualquer tipo de problema, até mesmo questões envolvendo forças ocultas.

Dia 21 de março:

taí óSessão de curtas nacionais
Duração: 59 min
Com exibição dos filmes:

Taí ó – Uma aventura na Lagoa (de Maurício Venturi / Ficção / SC / 2014 / 14min)
Sinopse: Esta é a história de João, um garoto que foge de casa e decide ir atrás de sua avó, conhecida como bruxa na Costa da Lagoa, onde só se chega de barco. No caminho, ele conhece Zé, um menino nativo que será seu parceiro e guia nesse desafio. Os dois iniciam uma amizade e uma aventura repleta de descobrimentos pela Lagoa da Conceição, reduto das lendas da Ilha de Santa Catarina.

Sobre a gente (de Alunos do Projeto Animação / Núcleo Animazul / ES / animação / 2017 / 6 min)
Sinopse: O filme conta as histórias das crianças que fizeram a animação.

Dia das Nações (de Iuli Gerbase / RS / ficção / 2017 / 12 min)
Sinopse: Quando uma atividade chamada "Dia das Nações" é proposta para uma sala de aula cheia de crianças espertas e não tão obedientes, algumas coisas podem mudar na escola.

Salu e o Cavalo Marinho (de Cecília da Fonte / PE / 2014 / animação / 14 min)
Sinopse: O filme conta a história de Mestre Salustiano, um dos artistas populares mais famosos do Brasil. Filho do rabequeiro João Salustiano, Salu logo cedo cedo sonha em participar de um grupo de Cavalo-Marinho, folguedo típico da região onde mora.

Disque Quilombola (de David Reeks / documentário / Rio de Janeiro / 2012 / 13’)
Sinopse: Crianças do Espírito Santo conversam de um jeito divertido sobre como é a vida em uma comunidade quilombola e em um morro da cidade de Vitória. Através de uma brincadeira, revela-se o quanto a infância tem mais semelhanças do que diferenças.

Dia 28 de março:

kellsO segredo de Kells – Uma viagem ao mundo das fábulas
Direção: Tomm Moore
Gênero: Animação
Países: Irlanda, França e Bélgica
Ano: 2009
Duração: 75min
Classificação: Livre
Sinopse: Em um mosteiro, o mais fantástico dos livros precisa ser concluído e mostrado ao mundo. Esta misteriosa tarefa é dada a Brendan, um menino de apenas 12 anos. Para completar o lendário livro de Kells, ele conta com os ensinamentos do mestre Aidan e com a ajuda de Aisling, uma misteriosa menina-lobo. E ainda desobedece ao seu amado tio, o Abade Cellach, se perdendo na floresta encantada onde a força de uma serpente diabólica protege o incrível olho de cristal. Mas este é apenas o começo da jornada para Brendan se tornar o mais especial dos escribas.

Com histórias de vida e resistência sobre a força da cultura do povo negro no Brasil, o longa-metragem Quem precisa de identidade? terá pré-estreia no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), no dia 5 de março, às 20h. Numa coprodução da Contraponto e Manacá Cine para o canal CineBrasil TV, o documentário é dirigido por Kátia Klock e Márcia Navai, que assina o argumento com Ana Veiga, e tem direção de produção de Lícia Brancher. Entre os pontos de destaque está a música-tema Lugar de Identidade, composta e interpretada por Marissol Mwaba, com a participação de François Muleka, Dandara Manoela, Alegre Corrêa e Addia Furtado.

O filme foi rodado em quatro cidades brasileiras - Florianópolis e Tubarão (SC), São Paulo (SP) e Salvador (Bahia). A equipe contou com a consultoria de Karine de Souza Silva, professora doutora do curso de Relações Internacionais da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). “Estou honrada de estar com todas essas pessoas tão significantes nesse projeto. O resultado é uma costura de personagens em que tudo ficou muito bem encaixado”.

Uma das vozes do documentário é de Livia Sant'Anna Vaz, promotora de justiça do Ministério Público da Bahia. “Nós não conhecemos os heróis e heroínas negros do nosso país. Muito pelo contrário, os negros são sempre representados nos livros de história como pessoas subalternas e inferiorizadas”. Nesse mosaico de histórias que compõem “Quem precisa de identidade?”, está também o registro do encontro da equipe com Nilma Lino Gomes, professora, educadora e ex-Ministra das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (2015-2016).

O documentário apresenta imagens de arquivo da AFP - Agence France-Presse, da Fundação Pierre Verger e do Acervo Digital de Cultura Negra, Cultne. Realizado com os recursos do BRDE, através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da ANCINE (Agência Nacional de Cinema), o filme tem apoio do canal CineBrasil TV.

A montagem documental - A narrativa é construída a partir de discussões de intelectuais e professores universitários, que se mesclam às histórias de personagens afro-brasileiros, haitianos e africanos de várias nacionalidades. “Eu me realizo ouvindo histórias e dando voz a essas histórias. Esse trabalho, em particular, é intenso e desafiador por tratar de um assunto forte e delicado como o racismo estrutural no Brasil”, comenta Kátia Klock.

Na opinião de Márcia Navai, “a luta antirracista, pela igualdade, pelo direito à cultura e à religião faz parte do dia a dia do povo preto. O filme vem dizer que é hora dessa luta fazer parte das vidas de cada uma e cada um de nós. É disso que o documentário fala e é isso que ele quer passar para todas as pessoas que puderem assistir”.

Ana Veiga, historiadora e uma das autoras do argumento, conta que “a escolha do tema do documentário não trata apenas de racismo e preconceito, mas da própria estrutura da sociedade brasileira e sua herança escravista, que é provocada ainda mais com a presença dos imigrantes negros e negras que vêm de tantos lugares”.

Sinopse

Histórias íntimas e coletivas despertam sensibilidades para questões sociais latentes. São mulheres, homens, pessoas LGBTs, povo de santo, imigrantes que ganham a tela com suas vivências e experiências, colocando em debate o que é ser negra e negro no Brasil. Em grupos e em ações individuais elas mobilizam ativismo e superação na luta cotidiana pela existência e por um lugar de respeito e de direitos.

Ficha Técnica

COPRODUÇÃO Contraponto e Manacá Cine DIREÇÃO Kátia Klock e Márcia Navai ARGUMENTO Ana Veiga e Márcia Navai PRODUÇÃO EXECUTIVA Lícia Brancher . Kátia Klock . Ana Veiga . Márcia Navai ROTEIRO Ana Veiga e Kátia Klock DIREÇÃO DE PRODUÇÃO Lícia Brancher ASSISTÊNCIA DE PRODUÇÃO Sansara Buriti DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA Kike Kreuger . Rodney Suguita SOM DIRETO Ingrid Gonçalves . Nivaldo Oliveira . Edson Spitaletti . Marcello Benedicts . Ju Baratieri MONTAGEM Nara Hailer . Kátia Klock . Márcia Navai EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM Leandro Cordeiro FINALIZAÇÃO E ARTE Erico Dias MÚSICA ORIGINAL Marissol Mwaba.

Serviço:
O quê: Pré-estreia do documentário Quem precisa de identidade? (Brasil, 83min, 2020)
Quando:  5 de março de 2020, às 20h
Onde: Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica, Florianópolis

Entrada gratuita

De 2 a 4 de março, a Sessão Cinemática apresenta longas brasileiros com o tema Entre Bordas e Delicadezas. Serão exibidos os filmes Na Cidade Onde Envelheço, Lembro mais dos Corvos e A Princesa do Beco e o Lampião Cromado. Todas as sessões serão precedidas de exibição de curtas às 19h e debate a partir das 19h30, com a projeção dos filmes às 20h no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC). A entrada é gratuita.

Nas bordas entre a ficção e o documentário existe uma linha tênue que não distingue gêneros. Quando as narrativas são sobre as existências e coexistências no mundo, o tema liga planos sobre linguagem que transborda em delicadezas narrativas. Os três filmes apresentados neste mês desconstroem as beiradas entre os gêneros de ficção e documentário.

A Sessão Cinemática é realizada em cooperação com a Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS), apoio Videcamp e Vitrine Filmes. Programação, produção e texto de Pedro MC. Organização Claudia Aguiyrre e Chico Caprário.

Curtas

No dia 2, a cineasta Maria Emília de Azevedo apresenta seu curta Mulher Azul (20min, 2011), contemplado no Prêmio Catarinense de Cinema, e rodado na região de Provence, no sul da França.  A cineasta catarinense vai falar um pouco sobre a experiência de ter rodado recentemente seu primeiro longa-metragem, e o processo de montagem e previsão de lançamento.

Na terça-feira, 3, o premiado curta-metragem Selma Depois da Chuva (2019, 15min), que conta a história de uma mulher trans que reencontra a mãe, será apresentado pela diretora Loli Menezes e a atriz Selma Light. O projeto foi primeiro lugar no edital do Ministério da Cultura, na categoria Carmem Santos, que premia diretoras mulheres.

E dia 4, quarta-feira, serão exibidos trechos de curtas-metragens realizados pela produtora Usina da Imaginação, com os realizadores Rita de Cassia Oenning Silva e Kurt Shaw. Focados em produção colaborativa, os realizadores criaram as plataformas de produção colaborativa Shine a Light, FavelaNews e CurtaCanoa, este com temática indígena. Os realizadores vão conversar com o público presente sobre as recentes produções e parcerias internacionais.

Programação:

02/03 (segunda-feira):
19h:
Exibição do curta-metragem Mulher Azul (De Maria Emília de Azevedo / 20 min)
19h30:  Conversa com a diretora Maria Emília de Azevedo.
20h: Exibição do filme:

A cidade onde envelheco 2Na Cidade Onde Envelheço
Ano: 2016
Direção: Marilia Rocha
Classificação: 12 Anos
Sinopse: Quarto longa da cineasta mineira, o primeiro de ficção após uma carreira prestigiada de documentários. O filme inundou o Festival de Cinema de Brasília e de Biarritz na França. Duas amigas portuguesas moram em BH e se encontram em meio a indeterminações em sentidos que não as fazem nem pensar sobre namoro. A imanência é fluída sobre existirem.

 

03/03 (terça-feira):
19h: Exibição do curta-metragem Selma Depois da Chuva (De Loli Menezes / 20 min)
19h30: Conversa com a diretora Loli Menezes e a atriz Selma Light
20h: Exibição do filme:

corvosLembro mais dos corvos
Ano: 2019
Direção: Gustavo Vinagre
Classificação 14 Anos.
Sinopse: A linguagem da ficção dá forma à conversa rodada em única locação, com a atriz Julia Katharine. Mulher trans, Julia conta na intimidade de seu apartamento como a violência inerente a sua orientação sexual, no seu crescimento como pessoa, a fez encontrar um refúgio no cinema. A fluidez entre gêneros narrativos é trabalhada pela talentosa direção, que faz transitar entre afetos e ironias as bordas de delicadeza do encontro.

04/03 (quarta-feira):
19h: Exibição de curtas-metragens selecionados da Usina da Imaginação
19h30: Conversa com  os diretores Rita Oenning Silva e Kurt Shaw
20h: Exibição do filme:

PRINCESA FOTO 1A Princesa do Beco e o Lampião Cromado
Ano: 2017
Direção: Kurt Shaw e Rita de Cássia Oenning da Silva
Classificação 10 Anos.
Sinopse: Rodado com a comunidade de favelas do Recife a partir do olhar das crianças que ali participavam de oficina de documentário. O norte-americano Kurt Shaw, criador de oficinas de realização para melhores práticas de infância, co-dirige com sua companheira catarinense Rita de Cássia Oenning da Silva, pesquisadora com pós doutorado em estudos de arte, sociedade e cultura, em trabalho com crianças originárias na Amazônia. A ficção ganhou reconhecimento de diversos festivais e cineclubes pelo mundo, sendo reconhecido como Melhor Longa de 2017m concedido pela Subversive Cinema Society em Los Angeles, na Califórnia.O Subversive Cinema tem como objetivo reconhecer obras originais que estão fora das principais normas e tendências da indústria cinematográfica, homenageando películas que rompam fronteiras, desafiem concepções artísticas e experimentem novas formas de narrativas.


Serviço:

O quê: Sessão Cinemática - Entre Bordas e Delicadezas
Quando: de 2 a 4 de março de 2020. Atividades e debate a partir das 19h; projeção às 20h.
Onde: sala de cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis
Entrada gratuita
Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/526668374627126/

A equipe da Biblioteca de Arte & Cultura da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) realizou na tarde dessa sexta-feira, 31 de janeiro, o sorteio para as vagas da Oficina Experimental de Textos Curtos, que terá encontros entre 06 de fevereiro e 04 de junho de 2020. 

Os nomes sorteados são:

 

Alan Jantsch
Ana Carla Bilhar
Anna Barbosa
Barbara Vitória Marques Sá dos Santos
Caroline Vetori de Souza
Cátia Wondracek Kuhn
Daiana Acordi
Fábio Dantas Amaral Lisbôa da Silva
Giovanna Petersen
Igor Furini do Amarante
Jenny De La Barrera
Julia Mantelli Copatti
Julie Christe Correa
Keylla Signorelli
Liliana Mores
Marina Luiza de Paula Boscardin
Naíra Ariana Souza Tumelero
Raisa Cechin Trilha


Os nomes sorteados para a lista de espera são:

Gabriela Favero
Jane Vieira da Rocha
Lucia Malnati Panariello
Lucas Cavalheiro de Oliveira
Marcelo Luiz Zapelini
Leticia Marcela Coelho
Gabrielle Correa
Sofia d'Avila Heidenreich Lacerda
Anieli Cires dos Santos
Isabele Sartor


Os encontros serão realizados das 17h às 19h nos dias: 

- 06/02/2020
- 05/03/2020
- 02/04/2020
- 07/05/2020
- 04/06/2020

 
 
A atividade foi viabilizada por meio de uma parceria entre a Biblioteca de Arte & Cultura da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) e os coordenadores da oficina, Gilberto Pinto da Motta e Edna Domenica Merola.  Entre os objetivos da oficina estão a reflexão sobre alguns aspectos inerentes às linguagens: cinematográfica e da literatura contemporânea;  a produção de crônicas, contos, poemas impressos e audiovisuais digitais; vivenciar um grupo tarefa – no contexto da educação permanente – tendo por foco a conquista e a manutenção do direito à arte, pelo viés da literatura e do cinema e conhecimento das diversas formas de divulgação adequando-as à propagação das produções realizadas nas oficinas.

Atualização: Por motivos de força maior, a equipe que organiza a Sessão Cinemática precisou cancelar as sessões em homenagem aos 100 anos de Federico Fellini.

 

Nas comemorações de 100 anos de nascimento do mestre do cinema de invenção, o italiano Federico Fellini, a Sessão Cinemática exibe um filme que retrata seu mundo particular, metafórico e alegórico: o longa Satyricon. A sessão ocorre na sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), no dia 4 de fevereiro, às 20h, com liberação de senhas às 19h e conversa sobre o autor antes da projeção. 

No filme  Satyricon, Fellini traduz a obra de Petrônio, do século I, de forma onírica, extravagante, psicodélica, erótica e brutal, criando um retrato fascinante da decadência do Império Romano, falando muito do tempo atual.

 Programação:

 
8 E MEIO FELLINI DIVULGA 003Dia 3 de fevereiro (segunda-feira):
19h: liberação de senhas.
19h30: Material Extra sobre Fellini: Terry Gilliam apresenta, entrevista Nino Rota e Vittorio Storaro.
20h: exibição do filme 8½ (1963, 138min, Classificação indicativa: 14 anos) 
Sinopse: O diretor de cinema Guido Anselmi está prestes a rodar sua próxima obra, mas está sem ideias para o filme. Pressionado por todos, ele passa a trabalhar tanto que não consegue mais distinguir a realidade da fantasia.

 Cancelado. Agradecemos a compreensão.

 
 
SATYRICON FELLINI DIVULGA 01
Dia 4 de fevereiro (terça-feira): 
19h: liberação de senhas 
19h30: Conversa sobre Fellini 
20h: exibição do filme Satyricon (1969, 124min, Classificação indicativa: 16 anos)
Sinopse: Após seu jovem amor, Gitone, o deixar por um outro homem, Encolpio decide se matar, mas um súbito terremoto destrói sua casa antes de ele ter a chance de completar seu plano. Vagando por Roma no tempo de Nero, Encolpio encontra um cenário bizarro e surreal. Ele é convidado para uma leitura de poesias que acaba em violência, é feito refém por piratas e é forçado a lutar com um gladiador disfarçado de minotauro em um labirinto gigante.

Cancelado. Agradecemos a compreensão.

Serviço:
O quê: Sessão Cinemática - Especial Fellini 100 anos
Quando:  4 de fevereiro de 2020. Liberação de senhas às 19h; conversa com o público às 19h30; sessões às 20h.
Onde: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita.