FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

As inscrições para artistas e coletivos participarem da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba - Polo SC já estão abertas. Os interessados deverão efetuar a inscrição de acordo com as instruções, respeitando os prazos de envio da documentação, datas de realização da exposição e demais informações.

Nesta edição da Bienal Internacionalde Curitiba em Santa Catarina, as inscrições pretendem selecionar artistas e/ou coletivos catarinenses, para realizar duas exposições coletivas em dois espaços expositivos da cidade: o Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) e O Sítio. Há a intenção de realizar uma mostra panorâmica da produção de Artes Visuais do estado, com obras que se encaixem no tema central da Bienal: “Fronteiras em Aberto”.

A curadoria geral do Polo SC, realizada por Francine Goudel, Juliana Crispe e Sandra Makowiecky, fará a seleção dos artistas, juntamente com uma comissão curatorial externa com ampla atuação no estado. Tal proposta, propõe tornar o processo tangível a artistas já renomados pelo circuito bem como democratizar o acesso aos que estão em processo inicial de carreira e aos artistas que estão fora dos principais eixos catarinenses. O apoio da Fundação Catarinense de Cultura (FCC) ao evento faz parte das ações de comemoração de 40 anos do órgão.

As exposições

As inscrições estão abertas para duas modalidades:

(1) Exposição Coletiva de vídeo-arte “Intersecções com a Paisagem”, a ser realizado no espaço expositivo do O Sítio, na Lagoa da Conceição e

(2) Exposição Coletiva “Fronteiras em Aberto”, a ser realizada no Museu de Arte de Santa Catarina, conforme cronograma anexo.

A exposição coletiva “Fronteiras em Aberto” no MASC busca expor a produção de até 60 artistas, baixo o tema do seu próprio título, através de linguagens diversas, exceto a produção em vídeo. Já a exposição coletiva de vídeo-arte “Intersecções com a Paisagem” no O Sítio busca mostrar a produção de 20 artistas que tenham uma produção em linguagem de vídeo, relacionando um dos conceitos da Bienal que perpassa as relações com a paisagem.

Para compreensão do tema proposto, “Fronteiras em Aberto”, o tema central da 14ª Bienal Internacional de Curitiba, investiga a noção de fronteira em sentido ampliado, pela concepção do curador Adolfo Navas e Co-curadora Tereza de Arruda. A Fronteira em Aberto sugere algo em expansão, a fronteira que já não pertence apenas ao território, à geografia política. Segundo os curadores, “nossa época vive um grau de incerteza tal que as noções físicas e simbólicas de local, lugar, fronteira têm sofrido uma grande erosão e transformação, para o bem e para o mal. Agora já sabemos que há fronteiras reais e também invisíveis que se contradizem e estabelecem litígios nada pacíficos. Que a fronteira pode ser várias coisas ao mesmo tempo.”

Para os curadores “o sujeito do século XXI vive uma nova condição de fronteira, com experiências contrapostas, enfrentadas de alteridade e ensimesmamento. De violência, domesticação e xenofobia (a chamada crise de refugiados, ou das novas ondas emigratórias intercontinentais, e a intercomunicação planetária revelam quanto a palavra fronteira está implodida e explodida, e, em consequência, necessitada de novas avaliações e atualizações).” Ainda segundo a concepção curatorial, as fronteiras em aberto propõe também pensar outras condições humanas, o aberto de uma esperança crítica, “o devir de outro sensorium, novo contato com o sensível, livre produção do ser. Uma linguagem antídoto contra o fundamentalismo, a visualidade instrumentalizada, que ainda abriga um singular benefício espiritual. Porque enquanto espaço para revelações e análises imagéticas, a arte também funciona como bússola de outro mapa em movimento, em curso, uma cartografia melhor: oferecendo um repertório único de sinais, uma nova sinalética.”

Inscrições

As inscrições são abertas a artistas visuais que residem a mais de dois anos em Santa Catarina ou que comprovem sua naturalidade catarinense. Não serão aceitas inscrições realizadas em nome de produtores culturais, gestores ou procuradores. O artista deve se inscrever e comprovar sua documentação e em caso de inscrição realizada para coletivos artísticos, o proponente deve ser um artista que compõe o coletivo e deve assinar e comprovar a documentação requerida no ato da inscrição. O não cumprimento dos itens para essa seleção, bem como o envio da documentação completa, caracterizará como indeferimento desta inscrição.

Vale destacar que, no momento de montagem, a entrega e retirada das obras será de responsabilidade dos artistas.

Para modalidade (1) Exposição Coletiva de vídeo-arte “Intersecções com a Paisagem” – O Sítio, poderão ser inscritos de um a três vídeos-arte por proponente. Cada proposta de vídeo enviada deve conter a especificação de título, sinopse e ficha técnica completa da obra. Será selecionado um vídeo por coletivo e ou artista.

Para modalidade (2) Exposição Coletiva “Fronteiras em Aberto” – MASC, poderão ser inscritos de três a cinco obras ou projetos/séries por proponente. Cada proposta enviada deve conter a especificação de título, sinopse e ficha técnica completa da obra. Mesmo que o proponente mande três ou cinco projetos/séries contendo obras diversas dentro destes, cada obra deve conter seu título e ficha técnica e ao menos o conjunto do projeto/série deve apresentar uma sinopse descritiva.

O artista proponente que deseja realizar sua inscrição deve enviar um e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., até dia 20 de agosto, anexando os seguintes documentos:

- Ficha de inscrição preenchida e assinada em formato pdf (http://abre.ai/poloscbienaldecuritiba)

- Fotografia do artista ou coletivo em jpg, com 300dpi (imagem horizontal mínimo 3500 pixels de largura, imagem mínimo 3500 pixels de altura)

- Comprovante de residência em Santa Catarina, de julho de 2017 e igualmente outra de julho de 2019, ou comprovante de naturalidade catarinense. Em caso de inscrição de coletivos o proponente deve ser um artista que compõe o coletivo e deve assinar e comprovar a documentação requerida.

- Link para vídeo em formato .mov ou .mp4, anexo em plataforma tipo nuvem (como drive, dropbox ou onedrive) com autorização para visualização aberta ao e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., com duração máxima de nove minutos, para modalidade (1) Exposição Coletiva de vídeo-arte “Intersecções com a Paisagem” no O Sítio

- Still de vídeo em formato .jpg, em 300dpi, para modalidade (1) Exposição Coletiva de vídeo-arte “Intersecções com a Paisagem” no O Sítio. Caso o anexo fique pesado para inserção no e-mail, enviar o link de acesso para anexo em plataforma tipo nuvem (como drive, dropbox ou onedrive) com autorização para visualização aberta ao e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

- Fotografia de TODAS AS OBRAS em jpg, em 300 dpi (imagem horizontal mínimo 3500 pixels de largura, imagem mínimo 3500 pixels de altura) para modalidade (2) exposição coletiva “Fronteiras em Aberto” – MASC. Caso o anexo fique pesado para inserção no e-mail, enviar o link de acesso para anexo em plataforma tipo nuvem (como drive, dropbox ou onedrive) com autorização para visualização aberta ao e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Cronograma

- Lançamento do edital: 20 de julho de 2019

- Encerramento do edital: 20 de agosto de 2019

- Divulgação dos artistas selecionados: 26 de agosto de 2019

- Recebimento das obras: 16 e 17 de setembro de 2019

- Abertura Exposição Coletiva “Fronteiras em Aberto” – MASC: 28 de setembro às 17h

- Abertura Exposição Coletiva de vídeo-arte “Fronteiras em Aberto - Intersecções com a Paisagem” no O Sítio: 17 de outubro às 19h

- Período expositivo MASC: 28 de setembro a 01 de dezembro de 2019

- Período expositivo O Sítio: 17 de outubro a 9 de novembro de 2019

 Link para baixar ficha de inscrição: http://abre.ai/poloscbienaldecuritiba.

 

No sábado (20), às 17h, abre no MASC a pré-estreia da 14ª Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba – Polo SC com a exposição Ninguém consegue segurar o ar, de Fran Favero, com curadoria de Juliana Crispe, Francine Goudel e Sandra Makowiecky. A exposição é a primeira mostra do Polo SC que terá sede em Florianópolis. De julho a dezembro deste ano, será lançada uma vasta programação, abrangendo uma panorâmica do cenário de produção atual de Artes Visuais no estado, ofertando mais de 20 exposições coletivas e individuais abordando o tema conceitual geral do evento: “Fronteiras em aberto”.

A exposição Ninguém consegue segurar o ar, de Fran Favero, apresenta vídeos, fotografias, trabalhos sonoros e outras proposições.

Fran Favero, natural de Chopinzinho (PR), vive e trabalha em Florianópolis, cidade onde desenvolveu sua graduação e mestrado em Artes Visuais pela Udesc. Em seus trabalhos, lida com questões que perpassam o território, a fronteira e a memória, com uma produção no campo dos multimeios, sobretudo em fotografia, vídeo, som e publicações de artista.

Serviço:

Exposição “Ninguém consegue segurar o ar” de Fran Favero 
Curadoria de Juliana Crispe, Francine Goudel e Sandra Makowiecky 
De 20 de julho a 8 de setembro 
Abertura: 20 de julho às 17h 
Local: Museu de Arte de Santa Catarina (Sala de Vídeo)
Endereço: Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600. Agronômica, Florianópolis. 
Visitação: terça a domingo, das 10 às 21h. 
Entrada gratuita. 

O Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) recebe três novas exposições no mês de junho. Uma delas é comemorativa aos 90 anos de nascimento da catarinense Eli Heil. Na mostra “Eli Heil 90 anos - take a walk on the wild side”, o público poderá conhecer obras de toda a trajetória da artista. Também abre ao público a mostra "O artista Vecchietti em coleção", com tapeçarias pertencentes ao acervo do Governo do Estado de Santa Catarina. Por fim, integrando o circuito, entrará em cartaz a mostra "Páginas Avulsas", da artista Clara Fernandes. 

A programação segue até o dia 08 de setembro de 2019. Permanecem em cartaz a exposição de longa duração "Coleção MASC – 70 anos" e a instalação "Diálogos com o Acervo", de Rubens Oestroem. Todas as exposições têm classificação indicativa livre e integram as comemorações de 70 anos do museu e de 40 anos da Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

Eli Heil 90 anos - take a walk on the wild side

ELI Acervomasc 1556Quem visitar a mostra, poderá ver 60 obras da artista que compõem o acervo do MASC.

Conforme o curador Ylmar Corrêa Neto, esta é a primeira retrospectiva após seu falecimento (em 2017). Foram quase 60 anos de atividade em que a artista rejeitou a comodidade, a fórmula pronta, a serialização, sempre procurando novas formas de expressão e aperfeiçoamento técnico. A artista também optou por rejeitar a mercantilização de sua produção, não se submetendo ao gosto da moda, selecionando os melhores trabalhos para a criação de seu Mundo Ovo, em Santo Antônio de Lisboa (Florianópolis), e para o MASC. 

 

O artista Vecchietti em coleção

Vecchietti

A mostra apresenta sete tapeçarias, em dimensões variadas, da coleção do Governo do Estado de Santa Catarina, além de duas tapeçarias de 1993: uma delas pertencente ao acervo do MASC e uma da coleção da artista Clara Fernandes. Apresenta também as matrizes: desenhos em nanquim produzidos pelo artista como módulos de composição nas mídias que ele versou.

Entre 1991 e 1993 Vecchietti trabalhou na reprodução das Vinhetas em tear manual no atelier de Clara Fernandes. Produção que se iniciou com a reprodução das serigrafias e culminou em novas composições com as matrizes que o artista utilizou também para uma produção em fotocópias, em preto e branco ou coloridas individualmente com hidrográfica.

Desta pesquisa e produção de dois anos no atelier de teares apresentou-se uma mostra no MASC, em agosto de 1993, com trinta e três tapeçarias. Vecchietti faleceu em março daquele ano.

 A curadoria é de Clara Fernandes e a expografia de Juliana Crispe.

 

Páginas Avulsas

Clara masc mhm 2257 2As obras da exposição Páginas Avulsas, da artista Clara Fernandes, estão em processo desde 2001. Nessa temporalidade, 2001-2019, de pensamento/construção, Clara trama entre materialidade, linguagem e conceito, relações temporais que se perfuram, criando tempos sempre em virtualidades que se ressignificam no agora.

São oito obras – estandartes em tecido papel e impressões com dimensões variadas (1,2 x 2,7;   2 x 3 ; 1 ,5 x 1, 5) e suspensos no espaço.

A expografia é de Juliana Crispe.

Serviço:

“Eli Heil 90 anos - take a walk on the wild side”;
"O artista Vecchietti em coleção";
"Páginas avulsas"

Local: Museu de Arte de Santa Catarina (MASC)
Visitação: 13 de junho a 8 de setembro de 2019
Abertura:  13 de junho às 19h
Horário de visitação: terça a domingo, das 10h às 21h
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita.

 

 

 

 

No mês de junho, o Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) promove aulas sobre arte contemporânea brasileira. Os encontros serão realizados nos dias 05, 12 e 19 (quartas-feiras), das 19h às 21h, no próprio museu. Qualquer pessoa interessada no assunto pode participar das atividades.

:: Confira o cronograma:

05 JUN | Rivane Neuenschwander 
12 JUN | Hélio Oiticica
19 JUN | Raquel Stolf

As aulas serão ministradas pela curadora Kamilla Nunes e fazem parte do curso de Introdução à curadoria do  Departamento Artístico Cultural da Universidade Federal de Santa Catarina (DAC/UFSC). Kamilla Nunes é curadora independente e crítica de arte, mestre e doutoranda no Programa de Pós-Graduação do Ceart/Udesc. Atualmente é gestora e criadora do Espaço CAIS, em Florianópolis, bem como curadora do projeto Bolsa Meyer Filho de Artes Visuais. É curadora do Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea [2017 e 2018]. Foi gestora do Espaço Embarcação [2015-2018], curadora do Espaço Cultural O Sítio [2015] e diretora do Instituto Meyer Filho [2010 a 2018]. Ministra aulas no DAC-UFSC e no Grupo de Estudos em Processos Artísticos e Curatoriais desde 2016. Publicou o livro “Espaços autônomos de arte contemporânea” [2013] e organizou diversos outros, como “Meyer Filho: Exercício de Imaginação” [2010]. Pesquisa sobre arte contemporânea brasileira, curadoria e sobre o sistema das artes no Brasil.

Serviço:

Aulas sobre arte contemporânea brasileira 
Datas: 05, 12 e 19 de junho de 2019
Horário: das 19h às 21h
Local: MASC, no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Evento gratuito.

 

O Conselho Deliberativo do Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) se reuniu, na manhã desta quarta-feira (21), para o terceiro encontro deste ano. Um dos temas abordados na ocasião foi o próximo ciclo de exposições, que começa no dia 11 de junho com a mostra de tapeçaria de Pedro Paulo Vecchietti – pertencentes ao governo do Estado de Santa Catarina, a apresentação dos trabalhos da artista plástica Clara Fernandes e a exposição comemorativa pelos 90 anos de Eli Heil.

Durante a reunião, a administradora do MASC, Susana Bianchini, apresentou uma proposta de parceria entre a instituição catarinense e a Bienal de Curitiba, prevista para setembro deste ano. A ideia é que o Museu de Arte de Santa Catarina ceda o espaço e faça uma seleção de artistas catarinenses, dentro da temática “Fronteiras em Aberto”, para o Polo SC da Bienal.

O encontro tratou ainda de pedidos de alteração de data e sugestões de pauta para 2020.

Conselho

O Conselho Deliberativo do MASC é composto por Susana Bianchini, administradora da instituição; Maria Helena Rosa Barbosa, membro do núcleo de arte e educação do MASC; Álvaro Henrique Fieri, membro do núcleo de conservação e acervo do MASC;Aline Pessoa da Ascenção Alcoforado, representante do curso de Museologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Rosana Tagliari Bortolin representante do Centro de Artes da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc); os artistas e curadores Juliana Crispe, Fernando Lindote e Franzoi, além da restauradora Sara Beatriz Dutra e Silva Fermiiano e do colecionador Ylmar Corrêa Neto.