FCC  Facebook Twitter Youtube instagram fcc

Logo GOV SC 2019 Colorido

No dia 19 de dezembro, às 11h, ocorrerá a solenidade oficial de entrega do Termo de Transferência de Acervo do jornal "O Catharinense" (1831 - 1832), entre a Biblioteca da Universidade Federal de Santa Catarina e a BPSC, que passará a ter a guarda e responsabilidade pela conservação deste que é considerado o primeiro jornal impresso em Santa Catarina. Na ocasião, serão expostas permanentemente numa caixa de acrílico as cópias das edições originais.

O periódico "O Catharinense" foi publicado em Desterro (atual Florianópolis), em 28 de junho de 1831. Existem, atualmente, somente dois exemplares originais (edição nº 02 e 22) e uma reprodução da edição nº 01. A inclusão do exemplar reparará a lacuna histórica na coleção física de jornais da BPSC, que possui, até então, apenas uma cópia microfilmada/digital do periódico.

Entre o fim do mês de novembro e a primeira quinzena de dezembro de 2022, serão acrescentadas ao repositório da Hemeroteca Digital Catarinense 4846 novas edições de sete publicações periódicas das cidades de Gaspar, Canoinhas e Florianópolis. Com este reforço, a Hemeroteca chega à marca de 71.697 páginas disponibilizadas on-line para o público.

Gaspar

A coleção digitalizada dos jornais "O Gasparense", pioneiro da imprensa no município que circulou entre os anos de 1923 a 1930; "Voz de Gaspar" (1953-1956); "Gazeta do Vale" (1974-1979 e 1982-1990); e "Cruzeiro do Vale" (1990-1993, 2005, 2007, 2011 a 2020) foi entregue na última semana pelo coordenador técnico da Hemeroteca, bibliotecário Alzemi Machado, à curadora do Conselho Deliberativo do Arquivo Histórico Documental Leopoldo Jorge Theodoro Schmalz, Leda Maria Baptista, na cidade de Gaspar/SC. Juntas, as publicações totalizam 22410 páginas digitalizadas, correspondentes a 1088 edições.

Correio do Norte

A entrega da coleção digitalizada do jornal "Correio do Norte" (1947-2022) será feita nesta segunda-feira (5), na sede do jornal em Canoinhas. O periódico, que completou 75 anos de existência, é considerado o segundo mais antigo em circulação no estado. Mediante convênio firmado entre a BPSC e o proprietário do jornal, Eni Voltolini, os trabalhos tiveram duração de aproximadamente quatro anos e resultaram na digitalização de 3.551 edições num universo de 45.670 páginas.

Livro dos Imigrantes

Outro Termo de Cooperação, este assinado entre a BPSC e a Prefeitura Municipal de Nova Veneza, resultou na digitalização dos originais do "Livro de Entrada dos Imigrantes na Colônia Nova Veneza" (1895-1897), importante documento histórico que versa sobre o ingresso e assentamento dos imigrantes italianos na região sul de Santa Catarina. A publicação já está disponível para consulta no repositório da
Hemeroteca Digital Catarinense.

CEMJ

Outra parceria técnica que envolveu a BPSC foi firmada com o Centro de Educação Menino Jesus (CEMJ), de Florianópolis, que possibilitou a digitalização completa das publicações do jornal escolar "O Amigão" (1972-2004) e da "Revista do CEMJ" (2005-2022), periódicos inexistentes na coleção de jornais da BPSC. O ato de entrega dos DVDs contendo as 3617 páginas das 142 edições, está marcado para 19 de dezembro de 2022, às 11h, nas dependências da BPSC.

Hemeroteca Digital Catarinense

As ações desenvolvidas pela Hemeroteca Digital Catarinense têm como objetivo a aplicação permanente da política pública de guarda, armazenamento e acesso digital, permitindo apoio e cooperação técnica com as mais diversas entidades e instituições públicas e privadas responsáveis por acervos bibliográficos nos municípios catarinenses, em consonância com o papel social e político da BPSC, sendo a instituição responsável pela ação em âmbito estadual de fomentar políticas públicas de informação, guarda, preservação, circulação e acesso à produção bibliográfica catarinense.

A Hemeroteca Digital Catarinense, criada em agosto de 2013, numa parceria envolvendo o Instituto para o Desenvolvimento das Ciências Humanas (IDCH) da UDESC e a BPSC, é o maior repositório de jornais regionalizados de SC e o segundo do país, com 1030 títulos de jornais catarinenses digitalizados, abrangendo mais de 50 cidades. Dispõe para acesso e transferência pública gratuita, um volume digital de mais de 850 mil páginas, e no decorrer do ano de 2022, ultrapassou em mais de um milhão (1.000.000.000) de acessos às páginas digitalizadas, oriundo de diversos países.

A exposição “Parece que algo acontece”, desenvolvida pela Valônia-Bruxelas Internacional, está em cartaz na Biblioteca Pública de Santa Catarina até 10 de janeiro de 2023. A mostra apresenta uma seleção de histórias em quadrinhos de autores da parte da Bélgica que falam francês, publicada por editores alternativos . As histórias em quadrinhos, ou “Gibis”, são expressões artísticas importantes para a cultura francófona.

A Bélgica é o berço de alguns dos autores responsáveis pelos grandes momentos da chamada Nona Arte. Foi lá que Hergé criou As Aventuras de Tintin, que Franquin desenhou as de Spirou e de Fantasio e Peyo criou os pequenos personagens azuis, os Smurfs. "Se a partir dos anos 1940 podemos distinguir a Escola de Bruxelas (dos autores da linha clara) da Escola de Marcinelle (dos adeptos do estilo atômico), é possível dizer que as HQs se desenvolveram entre a Valônia e a capital do país", definem os organizadores. A exposição é uma realização da Biblioteca Pública de SC, em conjunto com o cônsul honorário da Bélgica em Florianópolis, Jeroen Servaes. 

Serviço:
 
Exposição de Quadrinhos “Parece que algo acontece”
Visitação: de 1º de dezembro de 2022 a 10 de janeiro de 2023
Horário: de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h; aos sábados pela manhã, das 8h às 11h45.
Local:  Biblioteca Pública Estadual de SC (Rua Tenente Silveira,343 – Centro Florianópolis-SC)
Entrada gratuita.
A Biblioteca Pública de Santa Catarina (BPSC) e a Casa de Literatura Catarinense Poeta Cruz e Sousa da FCC organizaram atividades especiais para o mês da Consciência Negra, que também é mês de aniversário do maior poeta simbolista do Brasil.
 
Confira:
Dia 17/11, às 15h: 
 
- Oficina "Inquietudes Afro Literárias",  com a professora da Udesc, Andreia Sousa da Silva. Será realizada na Casa da Literatura Catarinense Poeta Cruz e Sousa.
 
 
Dia 17/11, às 19h: 
 
- Lançamento da Exposição Idelfonso Juvenal da Silva: um memorialista negro na imprensa catarinense, com livros e periódicos, no hall da BPSC. Também haverá o lançamento do Concurso Literário sobre o centenário de falecimento do político, jornalista, médico e empresário Abdon Batista (de Poesia, Crônicas e Contos);
 
- Roda de Conversa sobre escritores negros na Literatura Catarinense, na BPSC, com os escritor Fábio Garcia.
 
 
 
 

No próximo dia 16, Biblioteca Pública de Santa Catarina receberá o espetáculo "Bailinho – As Mareadas", em duas apresentações: às 10h e às 15h.

"Bailinho – As Mareadas" é um show de músicas infantis interativo para todas as idades. Com conteúdo artístico, mesclando música ao vivo, palhaçaria e teatro, o show traz um repertório tanto de composições autorais e inéditas das Palhaças Sollí e Sorella (Bruna Pierami e Monique Neves), de parceiros como o compositor Bruno Kohl, como também as já consagradas e conhecidas músicas do universo infantil de domínio público. Entre brincadeiras, danças, músicas e risadas, as palhaças cantam e encantam, tornando seu público parte do grande espetáculo.

Sobre as artistas: A dupla de palhaças "As Mareadas" é formada pelas palhaças Sollí Zeatoin e Sorella Condoiselles, do litoral de Santa Catarina. Quem está por trás do nariz vermelho são as artistas Bruna Pierami (cantora, musicista e professora de música) e Monique Neves (atriz e professora de teatro), além, é claro, de serem palhaças. Suas carreiras individuais nas áreas de música e teatro já somam mais de 20 anos. A pesquisa na linguagem da palhaçaria iniciou em 2015, oficializando a dupla em 2017, com o primeiro projeto da cia As Mareadas. 

As artistas possuem um trabalho voltado ao público infantil, ministrando tanto aulas de músicas, como de teatro para crianças e adolescentes. Na área de artes cênicas, elas possuem uma metodologia própria que desenvolvem há sete anos no Curso de Teatro Primo Atto (Primeiro Ato em italiano), ministrado por Monique Neves - e que já foi premiado com o prêmio de reconhecimento de trajetória cultural em Santa Catarina, no ano de 2020.

Já na área musical, As Mareadas também possuem repertório original voltado ao público infantil, compostos principalmente por Bruna Pierami, no qual traz em suas canções toda sua experiência e vivências como professora de música, dentro do universo infantil. Essas canções estão introduzidas nos espetáculos da dupla em circulação e também estão em lives e gravações nas plataformas digitais e streaming.

A dupla faz parte da Rede Catarina de Palhaças e segue com trabalhos na área de formação artística e humana de crianças e adolescentes, assim como circula suas obras em eventos, teatros, praças e escolas. Elas também possuem novos projetos em andamento, como o lançamento de um livro infantil escrito por Monique Neves, com lendas do litoral de Santa Catarina que fazem parte do espetáculo de contação de histórias da dupla, chamado "Me Disseram que... Contos do Montes e Areias".

Serviço:

"Bailinho – As Mareadas"

Data: 16/11/2022
Horário: 10h e 15h
Local: Biblioteca Pública de Santa Catarina
Endereço: Rua Tenente Silveira, nº 343, Centro, Florianópolis
(02 apresentações)