FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Com mais de 20 anos dedicados à arte, à religiosidade e à cultura popular da Ilha de Santa Catarina, o casal de artistas Osmarina e Paulo Villalva apresenta sua obra, desta vez, no Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), com sede no Palácio Cruz e Sousa.  A mostra Devoção e fé: Senhor Jesus dos Passos, que fica em cartaz entre os dias 4 de abril e 30 de maio, faz uma representação dos tradicionais atos que compreendem o cortejo da Procissão do Senhor dos Passos, com peças de cerâmica de, em média, 25cm de altura. A exposição também faz parte das comemorações pelos 40 anos do MHSC e da  Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

Composta por mais de 150 figuras, quatro placas em cerâmica sobre madeira (39x49cm), além de uma placa em madeira (92x70) representando a Catedral e um tapete com motivos religiosos confeccionado artesanalmente pelos artistas com materiais não perecíveis, como areia colorida, pedriscos e serragem coladas sobre tecido de juta, a exposição aborda o maior evento religioso de Florianópolis, que completa 253 anos em 2019.

Por sua importância religiosa e cultural, e estando entre os maiores eventos de fé do Brasil, a procissão Senhor dos Passos é considerada Patrimônio Cultural Imaterial de Santa Catarina, conforme Decreto n° 2.504 de 2006 e, desde 2018, é Patrimônio Cultural do Brasil. Por unanimidade, o Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural decidiu pelo reconhecimento dessa importante celebração para a cultura nacional. A decisão aconteceu durante a reunião do colegiado do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro.

Serviço:

O quê: Exposição "Devoção e fé: Senhor Jesus dos Passos"
Quando: de 4 de abril a 30 de maio de 2019. De terça a sexta-feira, das 10h às 18h; sábados e domingos, das 10h às 16h.
Onde: Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), Palácio Cruz Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis
Classificação indicativa: Livre
Ingressos: R$ 5 inteira e R$ 2 meia-entrada. Entrada gratuita, mediante comprovação, para professores acompanhando a turma; crianças com idade inferior a 5 anos; pessoas com deficiência; maiores de 60 anos; guias de turismo. Aos domingos, a entrada é gratuita para todos.

Estarão abertas de 18 a 22 de março as inscrições para as aulas gratuitas do projeto Tango no Palácio no primeiro semestre de 2019. Os encontros ocorrerão sempre às quartas-feiras, das 18h30 às 19h30, no auditório do Museu Histórico de Santa Catarina, localizado no Palácio Cruz e Sousa, no Centro de Florianópolis.

As inscrições devem ser feitas no link disponível aqui. Serão oferecidas 40 vagas, sendo 10 para casais e 20 individuais (10 homens e 10 mulheres), excedendo o número de vagas será realizado sorteio abertura ao público no dia 26 de março, às 15h, no auditório do Museu. Em caso de desistência ou duas faltas em um mesmo mês, o aluno terá sua vaga suspensa e será chamado outro candidato da lista de suplentes.

O objetivo do Projeto Tango no Palácio é aproximar esta modalidade de dança com toda a comunidade, mostrando que pode ser praticada por qualquer pessoa, independente da idade ou de ter experiência anterior com dança. É uma atividade integradora e inclusiva, que cria relações positivas e equilibradas, melhorando a qualidade de vida de todos seus praticantes.

Sobre o professor

Carlos Peruzzo é uruguaio, nascido em Motevidéu, e começou sua trajetória tanguera em 1990 na sua cidade natal, um dos berços do tango, quando ainda estudava Engenharia Civil na Universidade. Participou como dançarino em várias apresentações de dança e teatro, até sua vinda para o Brasil. Em 1995, chegou a Florianópolis para realizar Mestrado em Engenharia Civil na UFSC e conheceu o Centro de Dança Edson Nunes (CDEN), onde continuou aprimorando seus conhecimentos, estudando os outros ritmos da Dança de Salão. No ano de 1996, por convite do professor e dançarino Edson Nunes, iniciou-se como professor de tango no Centro de Dança Edson Nunes, formando assim a primeira turma de alunos de tango em Florianópolis. Desde então, tem sido um divulgador permanente do ritmo em Santa Catarina, ministrando aulas e cursos, organizando milongas e práticas, promovendo workshops com vários professores convidados.

O Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC) abriu suas portas em 2 de março de 1979, na Casa da Alfândega, em Florianópolis. O museu foi criado pela Lei Estadual nº 5.476, de 4 de outubro de 1978. Em 1986 ocorreu a mudança da Casa da Alfândega para o Palácio Cruz e Sousa.

Dois anos antes da mudança, em 1984, o Palácio foi tombado como patrimônio histórico de Santa Catarina e iniciaram obras de restauração que lhe devolveram as características arquitetônicas originais da reforma feita em 1898. Em 1986, ao reabrir, passou então a sediar o Museu Histórico de Santa Catarina.

O Palácio Cruz e Sousa é um importante exemplar da arquitetura eclética do final do século XIX, caracterizado por uma conciliação de estilos, como o barroco e o neoclássico. 

A partir de 2005 foram retomados os trabalhos de restauração das pinturas decorativas das paredes internas e dos forros de estuque, tratamento necessário que vem sendo realizado por uma equipe de profissionais qualificados, dentro de rigorosos critérios técnicos. Atualmente, estão sendo recuperadas as pinturas murais.

O museu promove também atividades gratuitas e abertas à comunidade, como oficinas, aulas de tango e de yoga. Além disso, possui espaço expositivo para receber mostras de artistas ou relacionadas à história de Santa Catarina.

:: Conheça os principais atrativos

:: Exposição em cartaz

Vale destacar que, em abril de 2019, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) - órgão que administra o MHSC - também completa 40 anos de criação.

Cruz e Sousa

O Museu Histórico abriga os restos mortais do poeta catarinense João da Cruz e Sousa, trasladados para Florianópolis no dia 26 de novembro de 2007.
Atingido pela tuberculose, buscou tratamento em Sítio, Minas Gerais, mas lá faleceu, em 19 de março de 1898. O corpo foi enviado para o Rio de Janeiro num vagão de trem para transporte de gado e enterrado no cemitério de São Francisco Xavier.

Horários

O horário de atendimento ao público é de terça a sexta-feira das 10h às 18h, aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h.
 O MHSC estará fechado durante o período de Carnaval, nos dias 02, 03, 04 e 05 de março (sábado, domingo, segunda e terça-feira). Reabre para visitação no dia 06 de março (quarta-feira) às 13h.

Os ingressos custam R$ 5 (inteira) e R$2 (meia). A entrada é gratuita, mediante comprovação, para professores acompanhando a turma, para crianças com idade inferior a cinco anos, para pessoas com deficiência, maiores de 60 anos e para guias de turismo. Aos domingos, a entrada é gratuita para todos.

Ascom FCC

A exposição “Matéria de Memória”, do fotógrafo Cláudio Brandão, que integra a programação do 6º Floripa na Foto – Festival de Fotografia, estará em cartaz no Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC) entre esta sexta-feira, 8 de fevereiro, e o dia 31 de março. As imagens, produzidas em 2009 e 2015, mostram dois ensaios realizados no prédio da Fábrica de Bordados Hoepcke, desativada em 1979. O primeiro ensaio está ligado à moda, em uma parceria entre o curso de Moda da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a empresa. Em um segundo momento, no ano de 2015, Brandão criou imagens a partir do prédio e do maquinário, poucos dias antes da retirada das máquinas para preparar o imóvel para a construção de um edifício residencial.

O trabalho do fotógrafo vai além do testemunho dos últimos momentos dessa parte da planta industrial da capital catarinense. Para Cláudio Brandão, as fotografias desta exposição integram a memória de uma Florianópolis onde ele passou boa parte da sua infância, entre o som das máquinas, das bordadeiras e da Hasselblad. A fábrica de bordados, a de gelo e a de pregos faziam parte do caminho diário do fotógrafo.  As fotos evidenciam a paixão do fotógrafo pela História, revelando algo poético na realidade áspera das engrenagens entrelaçadas com a presença mágica de uma sombra rendada. As imagens escolhidas para esta exposição apresentam uma reflexão sobre a trajetória da cidade e do fotógrafo, relembrando o som do maquinário que marcou a Florianópolis da década de 1970.

 

SERVIÇO:

Exposição “Matéria de Memória”

Visitação: de 08 de fevereiro a 31 de março, de terça a sexta-feira: das 10h às 18h.
Sábados, domingos e feriados: das 10h às 16h.

Classificação indicativa: Livre

Local: Museu Histórico de Santa Catarina – MHSC - Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro, Florianópolis.

Conversa com o autor: dia 22/03 às 19h.

 

Ingressos:

Inteira: R$ 5. Meia-entrada, mediante comprovação, para estudantes; menores de 18 anos; doadores de sangue registrados em hemocentros de Santa Catarina; professores exercendo docência nos níveis infantil, fundamental e médio: R$ 2. Entrada gratuita, mediante comprovação, para professores acompanhando a turma; crianças com idade inferior a 5 anos; pessoas com deficiência; maiores de 60 anos; guias turísticos. Aos domingos, a entrada é gratuita para todos.

Estão de volta em fevereiro as aulas do projeto Yoga no Palácio, que ocorrem no auditório do Museu Histórico de Santa Catarina, em Florianópolis. As aulas têm entrada gratuita, sem necessidade de inscrição prévia. As turmas são formadas por ordem de chegada, com limite de 25 alunos por horário.

Pela primeira vez, o projeto terá aulas no período vespertino: a partir do dia 13 de fevereiro, sempre às quartas-feiras, das 16h às 17h30, com o professor Cristiano Ogasavara Simões. A partir de 18 de março, também se iniciam as aulas que ocorrerão sempre às segundas-feiras, das 18h30 às 20h, com o professor Tales Nunes.

O projeto Yoga no Palácio é uma parceria da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), administradora do espaço, e do Curso de Extensão Projeto Práticas Corporais do Centro de Desportos da Universidade Federal de Santa Catarina (CDS/UFSC). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (48) 3665-6363.