FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Em virtude do aniversário de Florianópolis, no dia 23 de março, a equipe do Núcleo de Ação Educativa do Museu Histórico de Santa Catarina – Palácio Cruz e Sousa, espaço administrado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) no centro de Florianópolis, contribuirá com o calendário de eventos da cidade com discussões que pretendem fomentar o diálogo e o fortalecimento da temática das relações sociais na capital do Estado. Na programação, estão previstas a mesa redonda "Escola x Cidadania x Cidade" e o evento Conversas no Museu, com o tema "Florianópolis: olhares sobre a cidade", respectivamente nos dias 19 e 20 de março, no auditório do Museu, com entrada gratuita.

Confira a programação:

Dia 19/03 (quarta-feira)
14h: Mesa Redonda “Escola x Cidadania x Cidade"
Participantes:
Rodolfo Joaquim Pinto da Luz (secretário municipal de Educação de Florianópolis);
Nara Regina Lange Livramento (coordenadora do projeto Câmara de Vereadores Mirins da Câmara Municipal de Vereadores);
Raquel Terezinha Todeschini (representante da Secretaria Estadual de Educação);
Um representante da Escola do Legislativo.
Mediação: Alfredo Balduino Santos (coordenador de extensão da Udesc).

Dia 20/03 (quinta-feira)
14h: Conversas no Museu “Florianópolis: olhares sobre a cidade”.
Participantes:
Sandra Regina Born, com o tema “Falas na cidade de Florianópolis: Relações de poder e formação de redes sociais (1945-1964)". Sandra é funcionária da Secretaria de Estado da Educação, coordena línguas estrangeiras Alemão na Diretoria de Educação Básica e Profissional. Graduada em História. Mestre em Educação, Sociedade e Cultura (Universidade do Estado de Santa Catarina Udesc).
Maria da Graças Maria, com o tema “Imagens invisíveis de Áfricas presentes” (sobre as experiências cotidianas das populações afrodescendentes em Florianópolis / 1930-1940). Maria é graduada em História e Mestre em História (Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC). Atualmente é professora colaboradora da Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC).
Mediação: Renilton Roberto da Silva Matos de Assis (museólogo da Fundação Catarinense de Cultura - FCC).
 

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC

A Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio da Comissão de Acervo e Pauta do Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa, divulga os selecionados pelo edital de exposições de curta duração n°01/2013 para ocupar a Sala Martinho de Haro em 2014 e para a primeira exposição de 2015.
 
Pauline Charlotte Zenk - Exposição "Memória Lúcida" 
Mônica Cristina F. Corrêa - Exposição "Memória da Aéropostale"
Leandro Lopes de Souza - Exposição "Ilustrações Científicas - Uma Amostra da Produção Contemporânea no Brasil"
Rosane Cechinel - Exposição "Diálogo, Psique e Thanatus" 
Claudia Rieg Baron - Exposição "Moradiras, Flores, Sonhos e Histórias de Pessoas"

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC

No dia 8 de março, às 19h, o Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa, espaço administrado pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC) no centro de Florianópolis, recebe as apresentações do Villa Duo, série de concertos didáticos fundada em 2011 pela violinista Waleska Sieczkowska e o violoncelista Anderson Fiorelli. No programa da apresentação gratuita, a dupla de músicos executará obras de Johann Sebastian Bach, Wolfgang Amadeus Mozart, Alessandro Rolla, Reinhold Glière e Halvorsen-Händel. 
 
O Villa Duo já realizou diversos concertos, destacando-se a participação em 2011 no "Concerto pelo Japão" - realizado em prol das vítimas do terremoto no país asiático - e sua turnê "Série  Concertos Didáticos" pelo Estado de Santa Catariana em 2013. Em 2014, tem previsto diversos concertos no Estado de Santa Catarina e na Europa.
 
Sobre os músicos
 
Anderson Fiorelli - Violoncelo
O violoncelista catarinense Anderson Fiorelli iniciou seus estudos na Escola de Música de Videira. Concluiu sua graduação na Escola de Música e Belas Artes do Paraná na classe de Maria Alice Brandão e recebeu o Diploma de Concertista da Zürcher Hochschule der Künste em Zurique-Suiça onde estudou com Roel Dieltiens. Especializou-se em violoncelo barroco com o professor Gaetano Nasillo. Em masterclasses e cursos de aperfeiçoamento teve contato com grandes nomes da música erudita mundial, dentre estes Anner Bylsma, Jaap ter Linden, Alexande Rudin, Gautier Capuçon e Antonio Meneses.
 
Venceu o Concurso para Jovens Solistas da Ospa em 2012 e foi premiado no Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio (2011) e no Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil em Piracicaba-SP (2003). Recebeu bolsas de estudo  da Fundação Ernst Widmer (Aarau-Suíça) e do  Rahn Kulturfonds (Zurique-Suíça).
 
 Integrou a Orquestra Sinfônica do Paraná e a Camerata Florianópolis ocupando o posto de spalla dos violoncelos. Colaborou com  a Nova Camerata da UFPR, Camerata Antiqua de Curitiba e outros. Apresentou-se como solista a frente das orquestras: Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Camerata Florianópolis, Filarmônica da EMBAP, Orquestra Filarmônica da UFPR e Orquestra Filarmônica  Mahle.
 
Anderson integrou diversos grupos especializados na música contemporânea e na interdisciplinaridade das artes, dentre eles o Arc en Ciel  (Zurique) e os grupos curitibanos: Entrecompositores e  DezConcertante.  Com estes realizou a estreia mundial de várias composições. Com o espetáculo teatral-musical Die verlorene Kunst do diretor Thom Luz participou de espetáculos na Suíça e Alemanha durante as temporadas de 2009 e 2010. 
 
Entre 2010 e 2013 lecionou em projetos sócio pedagógicos em Santa Catarina e no Paraná, destacando o seu trabalho com a classe de violoncelos da Escola de Música de Videira e a direção da orquestra de estudantes Camerata Videira.
 
Na Europa participa de concertos, festivais e gravações com diversos grupos e orquestras ressaltando suas colaborações com o  Ensemble Explorations (Bélgica), Silete Venti (Itália), Orquestra Sinfonica Verdi di Milano (Itália), Quarteto Quixote (Espanha) e foi o principal violoncelista do Ensemble Turicum (Suiça) de 2005 a 2010. Já se apresentou em importantes salas como o BOZAR de Bruxellas, a Tonhalle de Zurique e o Arcimboldi de Milão.
Atualmente reside em Munique (Alemanha) e é mestrando no curso de violoncelo barroco da Hochschule für Musik und Theater-München na classe de Kristin von der Goltz.  Além disso é violoncelista do Arte Piano Trio e do Villa Duo e com estes tem diversas apresentações marcadas no Brasil para o ano de 2014.
 
Waleska Sieczkowska - Violino
Bacharel pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2010), a florianopolitana Waleska Sieczkowska iniciou seus estudos com o professor Jeferson Della Rocca, prosseguindo-os com Oliver Yatsugafu, Leonardo Piermatiri (UDESC), Paulo Bosísio (RJ) e Elisa Fukuda (SP).
 
Aos onze anos passou a integrar a Camerata Florianópolis, na qual ocupou a cadeira de spalla em 2009 e 2010.  A frente da mesma orquestra atuou como solista diversas vezes, apresentando grandes obras do repertório violinístico como: Tzigane de Ravel (2011), Concerto no. 2 de Wieniawski (2010) e as Quatro Estações de Vivaldi (2008). Integrando o naipe dos primeiros violinos, participou de várias gravações de CD/DVD, concertos e turnês tanto no Brasil como no exterior.
 
Como camerista, Waleska foi primeira violinista do Quarteto Jurerê Classic – do qual é uma das fundadoras – e junto ao violoncelista Anderson Fiorelli  forma o Villa Duo. Realizou a gravação de trilha sonora de filmes como: “Ensaio”  e “Nem o Céu nem a Terra”.
 
Participou de diversas oficinas e workshops com os professores  Hagai Sharam (Israel), Tim Vogler (Alemanha), Frank Harmer (Alemanha), Boris Brovtsyn (Rússia), Gerhard Peters (Alemanha), Carl Purdy (EUA), Peter Zazofsky (EUA), Arianna String Quartet (EUA), dentre outros. Em 2008 e 2009 fez parte do programa de intercâmbio da Universidade da Georgia-EUA, onde se aperfeiçoou com o violinista Levon Ambartsumian (Rússia-EUA).
Foi bolsista diversas vezes do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, onde trabalhou sob a regência de renomados maestros como Marin Alsop, Alberto Guerreiro e foi indicada ao Prêmio Eleazar de Carvalho em 2010. No ano de 2011 participou do programa Pré – Estreia da TV Cultura paulista. Em novembro de 2012 foi homenageada pela Revista Contemporânea.
 
Waleska trabalhou como professora em projetos sociais no interior do Estado de Santa Catarina e em 2012 ministrou máster classes na Sexta Semana da Música em Chapecó. 
 
Atualmente reside em Milão onde se especializa em violino barroco com o professor Stefano Montanari e realiza concertos em diversas cidades europeias. Em 2014 tem previsto diversas apresentações com o Villa Duo no Brasil.
 
Serviço:
 
O quê: Villa Duo 
Onde: Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa (Praça XV de novembro - Centro - Florianópolis)
Quando: 08/03/2014, às 19h
Entrada gratuita
Informações: (48) 3665-6365

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC

O Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa, assim como outros setores e casas administrados pela Fundação Catarinense de Cultura, passou por alterações nos números de telefone para contato. Para entrar em contato, o novo número é o (48) 3665-6363.

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC

Abrindo a agenda do Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa em 2014, a exposição A Eterna Procura da Cidade Azul, do artista Laércio Luiz, com curadoria de Franzoi, reunirá 27 trabalhos que abrangem uma produção de pinturas e objetos criados entre 1989 e 2013. A mostra fica aberta até 9 de março, na Sala Martinho de Haro, e conta com o apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte e da Fundação Catarinense de Cultura, com recursos do Fundo Cultural (Funcultural). O projeto, que conta também com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes, prevê uma conversa de artista no dia 19 de fevereiro e oficina de Pigmentos Naturais com dois turnos, um matutino e outro vespertino. As duas ações, oficina e conversa, ocorrerão no dia 19 de fevereiro (mais informações abaixo).
 
Com 20 anos de pesquisa sobre os pigmentos naturais, Laércio Luiz desejou compartilhar os resultados de uma longa atividade que embasou uma produção artística sintonizada com a natureza. Da terra, das pedras, das plantas, das folhas, raízes, seivas e de nódoas, ele recolhe e cataloga material que, em misturas alquímicas ou bem simples, transforma em cores numa larga paleta. Vermelho, azul, verde, laranja, ocre, roxo, magenta, bordô, amarelo, amarelo ouro. Preto, extraído de areias. O marrom de alguns húmus, de cogumelos. Por seu caráter inédito e profundo, o trabalho de duas décadas merece um novo olhar.
 
Em Florianópolis, onde vive, Laércio Luiz potencializa a sua pesquisa em torno dos pigmentos naturais. Sob a chancela do curador, verifica-se a trajetória, os caminhos adotados e outras possibilidades no cotidiano de um artista que transita num viés regional, com forte atuação como arte educador e um escultor inserido com mais de dez trabalhos na arte urbana da cidade. 
 
O conceito curatorial proposto é o diálogo entre a produção artística do passado e a contemporânea, inédita. Os 27 trabalhos abarcam oito séries: Entropia da cor (1987-88), Autorretrato (1989), Neo orgânico (1990), Portais (1994), Espírito (1992-94), Poesias sopradas (1994), Somos todos iguais (2012) e Objetos extraídos (2013). 
 
A poética de Laércio Luiz bebe nas fontes de Meyer Filho, Eli Heil e Franklin Cascaes, com referência no imaginário simbólico da Ilha de Santa Catarina. O artista investiga a cultura no espaço e no tempo, envolvendo crenças, costumes, linguagem, mitos, religião, rituais, valores, entre outros aspectos ligados a antropologia cultural. 
 
“Ao apresentar pinturas a partir de pigmentos extraídos da natureza, o artista provoca uma reação alquímica-pictórica, ao mesmo tempo em que estabelece uma aproximação entre o universo fantástico, o folclórico e o naturalismo da Ilha. Derruba barreiras quanto à extração da cor do veio da terra e alcança resultados surpreendentes em diferentes tonalidades”, situa o curador Franzoi.
 
Serviço:
 
O quê: Exposição A Eterna Procura da Cidade Azul
Onde: Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis
Abertura: 06/02/2014, às 19h30min
Visitação: de 07/02 a 09/03/2014. De terça a sexta-feira, das 10h às 18h; sábados e domingos, das 10h às 16h.
Informações: (48) 3028-8091 / 3665-6363
Entrada gratuita
 
O quê: Oficina Pigmentos Naturais
Onde: Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis
Quando: 19/02/2014. Duas turmas - 9h às 12h e 14h às 17h.
Público-alvo: educadores da Rede Pública de Ensino
Quanto: Gratuito, com limite de 25 alunos por turno
Inscrições: no link http://migre.me/hOGqT
 
O quê: Conversa com artista, curador e equipe criativa
Onde: Museu Histórico de Santa Catarina - Palácio Cruz e Sousa - Praça XV de Novembro, 227 - Centro - Florianópolis
Quando: 19/02/2014, das 18h às 21h
Público-alvo: Educadores, artistas e interessados 
Participação gratuita, sem necessidade de inscrição.
Informações:
(48) 3028-8091/ 3665-6363