FCC  Facebook Twitter Youtube instagram fcc

Logo GOV SC 2019 Colorido

As exposições fotográficas: "Rastros", do fotógrafo Zé Ronconi; e "Gentil Memória", de Gentil Reynaldo, em cartaz no Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC), foram prorrogadas até 15 de maio. Ambas retratam o Sul de Santa Catarina, suas paisagens, memórias e cotidiano. As exposições têm visitação gratuita de terça-feira a domingo, das 10h às 21h.

Rastros

A série de 15 imagens em grande formato retrata os ambientes de convívio (passados no presente) dos descendentes de imigrantes italianos da pequena Nova Veneza, no Sul catarinense, onde reside o fotógrafo Zé Ronconi. As imagens fazem parte de um trabalho fotográfico iniciado em 2019 com o projeto “Cartografias Catarinenses” coordenado pelo Núcleo de Estudos em Fotografia e Arte (NEFA), que em 2021 resultou na edição de um fotolivro. Nas palavras da professora, artista e curadora da exposição Lucila Horn “é na imagem como rastro que Zé Ronconi alude sobre o passado, e reconstitui aparições que há muito vivem na sua memória, buscando uma relação profunda com a cidade, como lugar de afetos. Muito além de um retrato ou uma descrição do lugar e seus aspectos geográficos ou arquitetônicos, nesta exposição somos requisitados a pensar sobre lugares que habitamos e lugares que nos habitam”.

Zé Ronconi, nascido em 1965, reside em Nova Veneza (SC). Arquiteto e Urbanista com especialização em Restauro Arquitetônico é entusiasta da fotografia. A partir de 2010 passa a atuar na área, sendo autodidata, com diversos trabalhos e publicações especialmente desenvolvidos em sua terra natal e no planalto catarinense. Em 2020 participou do projeto “Acompanhamento de projetos em fotografia” oferecido pelo MIS/SC.

Participou como fotógrafo e pesquisador assistente no livro Santuário de Caravaggio 50 anos; na exposição de fotos Nova Veneza Um Olhar/2015; e no festival Floripa na Foto/2017. Expôs no Projeto Varal da Trajano em 2017 e 2018. É cofundador e organizador das exposições fotográficas Varal da Veneza em Nova Veneza. Selecionado no projeto Cartografias Catarinenses 2019 NEFA/Fpolis. Participou no BC Foto Festival 2021, foi selecionado no festival Photothings 2021/SP e um dos 10 artistas participantes da IV Coletiva UNESC de Artistas do Sul/2021. Participou, ainda, de exposições coletivas de fotografia na galeria Helena Fretta e Instituto Juarez Machado. Atualmente, desenvolve pesquisa na área de Registro de Memórias da Imigração no Sul catarinense com atenção ao movimento imigratório que deu origem a Colônia Nuova Venezia/ 1891. Autor do fotolivro Rastros.

Gentil Memória

02 encalhe navio loide paraguai 7012A exposição fotográfica vem à tona proporcionar uma volta no tempo. São fotografias que resgatam o valor histórico e cultural da região Sul de Santa Catarina e  fazem parte do acervo do fotógrafo catarinense Gentil Reynaldo, que realizou uma consistente documentação visual do cotidiano da região de Jaguaruna, durante os anos de 1930 e 1990.

Desfiles, bailes, festas, solenidades políticas e religiosas, retratos, construções como a catedral, a escola e o clube social estão entre os temas abordados na exposição. Além disso, o passeio pictórico contempla os naufrágios e encalhes de embarcações que aconteciam próximo às praias, na região conhecida como Cemitério dos Navios. Os registros são uma amostra da riqueza histórica do acervo que contém mais de 80 mil fotografias, um patrimônio material e imaterial do estado.

O acervo está sob guarda do projeto Gentil Memória, que há três anos realiza a conservação, a digitalização, a catalogação e a difusão dos negativos. Assim, cumpre a nobre função de enriquecer as narrativas sobre o passado, a influência disso no presente e no futuro da comunidade. “Somos um canal entre a população, seu patrimônio e o imaginário coletivo", revela o diretor e produtor do projeto Gentil Memória, Guilherme Reynaldo.

E por ser essa ponte de narrativas pictóricas e histórias, a partir do contato com a exposição fotográfica, novas reflexões e informações surgem, uma vez que a população pode contribuir com as pesquisas, reconhecer as datas, os lugares e as pessoas que estampam os registros fotográficos. Dar nome aos rostos e lugares documentados é fundamental, pois enriquece esse patrimônio cultural catarinense e faz a comunidade se sentir parte do enredo histórico brasileiro.

Serviço:

O quê: Exposições fotográficas "Rastros" (Zé Ronconi) e "Gentil Memória" (Gentil Reynaldo)
Onde: Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC) - Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis.
Visitação: de 16 de março a 15 de maio de 2022, de terça-feira a domingo, das 10 às 21h.
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita.