FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Três curtas-metragens da safra recente de Santa Catarina agora tem distribuição para todo o Brasil. A circulação nacional vai ser celebrada na quarta-feira (14), às 19 horas, quando os filmes serão exibidos na Fundação Cultural Badesc. Após a sessão haverá um debate com diretores e com o distribuidor sobre distribuição independente.

Os filmes são A Mão do Macaco, de Jefferson Bittencourt, ângelo o Coveiro, de Renato Turnes e Se eu Morresse Amanhã, de Ricardo Weschenfelder, que estarão à venda em www.faganello.com.

Com estes três títulos já são nove filmes de Santa Catarina circulando por todo o Brasil através do site.

"São trabalhos originais e tecnicamente perfeitos", diz Chico Faganello, responsável pela distribuição dos filmes. ?Por isso entram na filosofia da nossa distribuidora, que é a de trabalhar com filmes de qualidade?.

Os três curtas tem muita coisa em comum. Primeiro em relação a temática, que dialoga com os enigmas da alma. Além disso, foram realizados por jovens diretores que tem grande preocupação com o profissionalismo e a conquista do público, e todos são amigos (Renato e Jefferson fazem parte da Vinil filmes, e Ricardo usou quase a mesma equipe para o seu curta).

?Não adianta esperar pelo governo ou pelo circuito normal?, diz Chico Faganello, também cineasta que ?há anos? vive na pele a dificuldade para distribuir seus filmes. Por isso decidiu montar a distribuidora virtual como tentativa de furar o bloqueio existente aos filmes independentes e dirigidos aos nichos de mercado. ?Está funcionando, o trabalho flui e circula?, avalia. Os filmes serão vendidos, em média, a R$ 13,00 e os consumidores podem comprar de todo o Brasil, recebendo o DVD em casa.

SINOPSES

A Mão do Macaco, de Jefferson Bittencourt, Florianópolis, 2008, 25min.

Sandra e Lucas comemoram o aniversário da mãe. Na madrugada, após a festa, um estranho visitante traz para a casa da família um sinistro objeto: a mão decepada de um símio, que ele diz ser capaz de realizar os desejos de seu possuidor. A câmera caseira que registrava a festa torna-se agora a testemunha dos fatos misteriosos que encaminham a história dos irmãos para um desfecho assustador. Uma adaptação contemporânea do conto clássico de W.W. Jacobs.

ângelo, o Coveiro, de Renato Turnês, Florianópolis, 2009, 20min

ângelo é um coveiro que vive no cemitério de uma grande cidade. Um clown soturno, carente e sensível. Um monstro atrapalhado. Cercado pelas assombrações que não o deixam em paz e pelas ameaças do esquisito mundo dos vivos, suas jornadas de trabalho são bizarras aventuras do outro mundo. Mas quando ângelo conhece uma bela e misteriosa moça, a possibilidade do amor verdadeiro pode mudar para sempre o rumo de sua vida cinzenta. ângelo, O Coveiro é um filme de terror absurdo, uma comédia sinistra e impagável, o show solitário de um adorável palhaço expressionista

Se eu morresse amanhã, de Ricardo Weschenfelder, Florianópolis, 2009, 22min.

O homem é um pacato bibliotecário que possui uma estranha obsessão: ele visita enterros e se faz passar por conhecido dos mortos. Até que conhece Marta, uma pesquisadora de literatura, com os mesmos interesses mórbidos. A atração entre os dois muda o rumo de suas vidas.



bb

O espetáculo Mi Muñequita fará uma turnê nacional através do projeto de itinerância do SESC, o Palco Giratório. A primeira cidade será Fortaleza, no final de abril. Para começar bem a viagem a produção resolveu fazer duas apresentações na Ilha.

A produção catarinense, cuja equipe é composta por artistas da capital catarinense - foi um dos projetos contemplados no edital Elisabeth Aderle de Estímulo à Cultura, promovido pela Fundação Catarinense de Cultura(FCC).

Mi Muñequita é a história de La Nena, uma menina que para crescer precisa se libertar da violência de sua família desajustada: La Madre, El Padre e El Tío. Para tanto ela conta com a ajuda de La Huerfanita, sua boneca preferida. El Presentador é o mestre de cerimônias que nos conduz através desse show de variedades perverso, engaçado e surpreendente.


17 e 18/04, Sab e dom, às 20h

Teatro da Ubro: Escadaria da Rua Pedro Soares, Centro. Ingresso: R$ 30 inteira e R$ 15 meia-entrada (flyer, estudante, idoso e sócios DC)

Informações: 48 3224 4379 / 48 8841 4688 ? Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
http://www.mmunequita.blogspot.com/

A professora mestre Maria Helena Barbosa, do Museu de Arte de Santa Catarina(MASC), ministrou na sexta-feira(09) palestra aos alunos da disciplina " ação educativa em espaços culturais", da licenciatura em artes visuais, do CEART/UDESC, de Florianópolis.

O evento aconteceu no Centro Cultura BADESC, no Centro de Florianópolis, e a profissional agradou a plateia, já que sua dissertação de mestrado foi sobre mediação em museus e seu trabalho no MASC consiste em ação educativa.

A CAISC(Casa dos Açores Ilha de Santa Catarina) apresenta a exposição "Imagens açorianas de Santa Catarina" no hall de entrada da reitoria da UFSC, cuja abertura acontece no dia 13 de abril, 20 h.

A mostra apresenta fotos de Arante José Monteiro Filho, o Arantinho, e de Mena Wendhausen, das 8 às 18 h, até o dia 30 deste mês.

A exposição aborda reverencia, no conjunto de fotos documentais, costumes dp povo do arquipélago dos Açores presente nos dias de hoje, principalmente no litoral.