FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Um dos cineastas mais longevos em atividade no país, além de compositor e músico, Sérgio Ricardo será homenageado com uma seleção especial de seus filmes que serão exibidos nesta quinta-feira, sexta-feira, sábado e domingo na Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. São cinco produções, que incluem os longas “Esse Mundo É Meu” (1964), “Juliana do Amor Perdido” (1970), “A Noite do Espantalho” (1974), e seu mais recente trabalho, “Bandeira de Retalhos” (2018), e o filme de estria, o curta “Menino da Calça Branca” (1961). As sessões estão marcada para às 20h e a entrada é gratuita (confira a programação completa abaixo).

A Mostra Especial Sérgio Ricardo é uma parceria entre o Cineclube Unisul e o projeto de extensão da UDESC, com tutoria do Professor Rafael Hagemeyer. O cineasta de 85 anos continua criando novos filmes. Sérgio Ricardo realizou seu primeiro curta-metragem “O Menino da Calça Branca” com fotografia de seu irmão Dib Lutfi e montagem de Nelson Pereira dos Santos em 1961. Seu primeiro longa, “Esse mundo é meu”, foi montado por Ruy Guerra e considerado um dos melhores filmes de 1964 pela revista “Cahiersdu Cinema”. Ele também colaborou com a trilha sonora dos principais filmes de Glauber Rocha, como “Deus e o Diabo” e “Terra em Transe”.

A Sala de Cinema do CIC está localizada na Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600, Bairro Agronômica, Florianópolis.

Confira a programação de filmes

Quinta-feira (24) – 20h

“Menino da Calça Branca”
Direção: Sérgio Ricardo - Gênero: Drama - País: Brasil - Ano: 1961 - Duração: 22 min - Classificação Indicativa: 16 anos
Um menino sonha em ganhar uma calça branca, identificando-a com a possibilidade de ascensão social. Mas quando a recebe de presente, as coisas não ocorrem como o esperado.

“Esse Mundo é Meu”
Direção: Sérgio Ricardo - Gênero: Drama - País: Brasil - Ano: 1964 - Duração: 85 min - Classificação Indicativa: 14 anos
Pedro trabalha numa serralharia em que não recebe aumento há anos, o que o impede de se casar. Toninho, engraxate, junta dinheiro para comprar uma bicicleta. O sentimento de injustiça, desencadeia neles um misto de impotência e revolta contra o sistema.

Sexta-feira (25) – 20h

“Juliana do Amor Perdido”
Direção: Sérgio Ricardo - Gênero: Drama - País: Brasil - Ano: 1970 - Duração: 92 min - Classificação Indicativa: 10 anos
Em uma ilha, pescadores são explorados, através da crença em Juliana, uma virgem tida como santa. Mas ela conhece Faísca, o maquinista do trem e resolve fugir com ele.

Sábado (26) – 20h

"A Noite do Espantalho"
Direção: Sérgio Ricardo - Gênero: Drama - País: Brasil - Ano: 1974 - Duração: 100 min - Classificação Indicativa: 14 anos
Cordel Musical. No nordeste futurista brasileiro, um coronel contrata um jagunço para manter a ordem nas terras que ele pretende vender. Com a seca, um vaqueiro lidera os moradores para reclamar a sua parte da produção.

Domingo (27) – 20h

"Bandeira de Retalhos"
Direção: Sérgio Ricardo - Gênero: Drama - País: Brasil - Ano: (1968/2008) - Duração: 90 min
Morro do Vidigal, Rio de Janeiro, 1977. Os moradores são surpreendidos pela prefeitura, que decidiu desapropriar o local, alegando risco de deslizamento. Em meio a resistência dos moradores, desenrola-se um violento triângulo amoroso entre Neno, Tiana e Bituca.

Os jardins em frente ao Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, serão, a partir do dia 22 de maio, o território artístico do Grupo Nhá-U e do Coletivo Geodésica Cultural. Ambos são os responsáveis pela exposição “Atemporalidade”, que consistirá em uma instalação em cerâmica e intervenções culturais no interior de uma estrutura geodésica. A abertura será às 16h, com acesso livre, sendo que às 19h está programada a apresentação “Tocada Aberta” de Polo Cabrera e Grupo Colibri.

A exposição é uma parceria do Nhá-U e do Coletivo Geodésica com o Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) e integra as celebrações dos 70 anos da instituição. “Atemporalidade” permanecerá em visitação até o dia 29 de junho e todos as peças expostas também estarão à venda. No ambiente proposto, a cerâmica atua como transmissão de conceitos sobre a temporalidade da vida humana e os fazeres artísticos. O cheiro, a forma os elementos primordiais como água e terra questionam a efemeridade e do ser; simbolizadas através dos vasinhos suspensos, vasos e fragmentos de cerâmica crua e queimada em contato com água, assim como o renascer (sementes) fazem desta mostra um evento inquisidor e participativo. A cerâmica também como arte que remonta as tradições e gestos – a beleza visual, táctil e dinâmica como instalação inspiradas em aroma e líquido, completa a materialidade da mostra.

Segundo os organizadores da mostra, "a geodésica como útero da instalação permite ainda o Ciclo das águas (Tribo Colibri) onde o cênico e a musica são a tônica; muito movimento de uma pretensa narrativa cujo significado é atribuído pelo próprio observador e participante". A exposição também contará com a participação do artista e ceramista Valdo Santeiro, oficineiro do Instituto Federal de Santa Catarina.

SERVIÇO:

O que: Exposição “Atemporalidade” - Grupo Nhá-U e Coletivo Geodésica Cultural Itinerante.
Abertura: Dia 22 de maio, às 16h e apresentação “Tocata Aberta”, com Polo Cabrera e Tribo Colibri, às 19h
Visitação: todos os dias até 29 de junho
Local: jardins do Centro Integrado de Cultura (CIC) – Avenida Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Bairro Agronômica, Florianópolis - SC
Entrada: gratuita
Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Grupos participantes

O Grupo Nhá - U fundado em 1980 passou por diversas transformações quer no numeros de participantes como tambem por periodos em que as suas atividades ficaram dormentes e praticamente sem mostras ou atividades que denotassem a sua existencia. Foram momentos de grande repercuções pelas inúmeras propostas artisticas, “Caos e Criacão”, “Emaranhado”, “Ali e na Açâo”, “Menina Bem” e participações em eventos ligados a moda, seminarios, cursos, oficinas e participações em salões nacionais e internacionais, como Ceramic Contest em Nagoya – Japão e outros de menor visibilidade.
Uma de sua característica básica tem sido sempre a preocupação com a cerâmica e suas diversas possibilidades sejam técnicas como temática e uma preocupação em ter como marca a contemporaneidade.

Pode-se dizer que o Nha - U é cria da Udesc. Foi o espaço de se fazer cerâmica, estudar e principalmente de vivenciar esta arte. Muitos outros grupos nele tiveram sua fonte inspiradora tento em suas formações como em suas carteristicas de metodos e metas.

A Geodésica Cultural Itinerante é um coletivo de arte colaborativa, composto por artistas de diversas áreas, que utiliza uma estrutura geodésica como dispositivo relacional itinerante. Possui o objetivo de ativar criativamente diferentes contextos e espaços públicos, visando à reinvenção de relações sociais, culturais e ambientais. São realizadas atividades de caráter transdisciplinar, como oficinas, conversas, ações artísticas que buscam a produção de sentido a partir da experiência.
O Coletivo surgiu a partir do Grupo de pesquisa “Arte e Vida nos Limites da Representação” Udesc / CNPq em 2011, coordenado pelo professor José Luis Kinceler, homenageado no Festival Internacional Kinceler - FIK 2018, e seu percurso itinerante iniciou através da realização do evento “Estação Geodésica: Ações em Arte Contemporânea” em Novembro de 2011, no Centro Integrado de Cultura- CIC. Passou pela comunidade do Montserrat no centro de Florianópolis com o projeto “Panorâmica Montserrat”, entre outras atividades e projetos realizados em Florianópolis.

Grupo Nhá- U (Participantes)

Cinthia Zaguini Muller
Elbe Araujo
Eliane Prudêncio da Costa
Isabela Sielski
Jany Gonçalves Vila Bôas Araujo
Luiz Carlos Canabarro Machado
Nivaldith Fernandes
Rafael João Rodrigues

Coletivo - Geodésica Cultural (Participantes)
Gustavo Tirelli
Ágata Tomaselli
Leonardo Lima
Jade Sapucahy
Tatiana Rosa
Lucas Kinceler

Vinte filmes vencedores do 21º Florianópolis Audiovisual Mercosul serão exibidos simultaneamente em 27 cidades de todas as regiões de Santa Catarina, entre os dias 19 e 24 de maio, na edição deste ano do Circuito FAM de Cinema. Estão previstas 185 sessões acessíveis com Legendagem para Surdos e Ensurdecidos - LSE - , além de toda a programação infantojuvenil também possuir Áudio Descrição (AD).
O Circuito FAM de Cinema 2018 terá Lançamento Oficial no dia 18 de maio no Cinema do CIC, em Florianópolis, às 19h30min, com Tradução de Libras ao vivo. Nesta edição, participam 41 pontos de cultura com programação para todos os tipos de público, sempre com entrada gratuita. O objetivo da mostra itinerante, realizada desde 2005, é descentralizar, democratizar o acesso às produções de cinema do Mercosul para todo o público, fortalecer a cinematografia latino-americana, assim como também reconhecer o trabalho dos agentes locais de promoção cultural, educativa e social do estado.

O Circuito FAM de Cinema 2018 tem o Patrocínio da Secretaria do Audiovisual, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o apoio do Sesc e a realização é da Associação Cultural Panvision.

Os filmes estão divididos em sete programas diferentes com os filmes eleitos pelo Júri Oficial e Popular no FAM do ano passado, incluindo 17 curtas e três longas-metragens, com programação adulto e infantojuvenil que está disponível no site www.famdetodos.com.br


Filmes

O Som dos Sinos, direção de Marina Thomé e Marcia Mansur (Brasil) - 70 min
Prêmio Júri Oficial de Melhor Filme Mostra DOC-FAM; Precisamos Falar De Assédio, direção de Paula Sachetta (Brasil) - 80 min, Classificação Indicativa: 12 anos. Prêmio Júri Popular de Melhor Filme Mostra DOC-FAM; Guarnieri, direção de Francisco Guarnieri (Brasil) - 72 min, Classificação Indicativa: 12 anos. Menção Honrosa Mostra DOC-FAM; No Caminho da Escola, direção de alunos da rede municipal de ensino de Vitória (ES) - 9 min, Prêmio Júri Popular de Melhor Filme; Meninos e Reis, direção de Gabriela Romeu (Brasil) - 16 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Filme; O Bruxo do Cosme Velho, direção de alunos da rede municipal de ensino de Vitória (ES) - 15 min, Menção Honrosa; Estado Itinerante, direção de Ana Carolina Soares (Brasil), - 25 min, Melhor Atriz para Lira Ribas; Procura-se Irenice, direção de Marco Escrivão e Thiago B. Mendonça (Brasil) - 25 min, Prêmio Júri Popular de Melhor Filme; Luto, direção Eduardo Martins Zimermann - 5 min, Prêmio Júri Oficial Melhor Filme do Rally Universitário; Iluminadas, direção de Gabi Saegesser (Brasil) - 13 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Fotografia para Adalberto Oliveira e Marlon Meirelles; Ocupação Hotel Cambridge, - 23 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Direção para Andrea Mendonça; Adogás, direção de Henrique Neumann (Brasil), - 5 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Filme da Mostra Videoclipe; Hospital da Memória, direção de Pedro Paulo de Andrade (Brasil) 18 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Roteiro para Pedro Paulo de Andrade e Vinicius Vitti; Larfiagem, direção Gabi Bresola - 18 min, prêmios de Melhor Documentário da Mostra de Curtas (Catarinense e Mercosul), e de Melhor Filme do Júri Popular e do Júri Oficial da Mostra Catarinense; Distancia, direção de Joaquin Pedretti (Argentina) - 8 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Montagem para Joaquim Pedretti; Espaço Móveis Ruídos, direção de Bianca Scliar (Brasil) - 22 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Trilha Sonora Original para Fábio Mello e Alexandre Lunardelli; Animais, direção de Guilherme Alvernaz (Brasil) - 13 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Som para Fernando Henna e Daniel Turini; Três Tipos de Medo, direção de Bruno Bini - 20 min, Prêmio de Melhor Filme do Júri Oficial da Mostra Curtas Mercosul, de Melhor Ator da Mostra de Curtas (Catarinense e Mercosul), pela atuação de Giovanni Araújo e ganhador do Prêmio Aquisição do Canal Brasil; Cinco5, direção Camila Arriaga Torres (Bolívia, Brasil, Colômbia, Paraguai e Peru) - 6 min, Menção Honrosa; Piscina, direção de Leandro Goddinho (Brasil) - 30 min, Prêmio Júri Oficial de Melhor Direção de Arte para Rafael Blas.


Cidades

Araranguá, Auditório do Sesc Araranguá - Av. Sete de Setembro, 1030 - Centro; Balneário Camboriú, Sesc Balneário Camboriú - Av. Central, 360 - Centro, Balneário Camboriú; Blumenau, Biblioteca do Sesc Blumenau, R. Dr. Amadeu da Luz, 181 - Centro; Fundação Cultural de Blumenau; Brusque, Restaurante Sesc, R. Arno Carlos Gracher, 211 - Centro; Escola Feliciano Pires, R. Rodrigues Alves, 250 - Centro 1; Escola Yvone Klabunde, R Alberto Klabunde, 555 - Cedrinho; Senac, Rod. Antônio Heil, 191 - Centro 2; Caçador, Museu Histórico e Antropológico da Região do Contestado, R. Getúlio Vargas, 100 - Centro; Espaço Cia das Artes Vento Negro, R. Aimoré, 32 - Bello; SESC Caçador, R. do Contestado, s/nº - Berger; Canelinha, Auditório Prefeitura de Canelinha, Av. Cantório Florentino da Silva, 1683, Centro; Canoinhas, Sesc Ler Canoinha, Av. Expedicionário, 2100 - Campo Água Verde; Chapecó, Teatro do Sesc em Chapecó, R. Brasília, 475 - Jardim Itália; Concórdia, Sesc Escola Pública; Criciúma, Auditório Sesc Criciúma, R. Pres. Kenedy, 850 - Pio Corrêa; Curitibanos, EEB Deputado Altir Webber de Mello, R. Cap. Potiguara, 746-880 - São José; EEB Solon Rosa, R. Carlos Betz, 450 - Agua Santa; SESC - Curitibanos, Rua Salomão Carneiro de Almeida, 388, sobreloja-3/4- Edificio Gaboardi Master Center; SESC - EEB Marechal Eurico Gaspar Dutra, R. Lauro Valêncio da Silva, 1-147 - São Luiz; Florianópolis, CIC - Cineclube Cinema UNISUL - Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica, Florianópolis; Teatro do Sesc Prainha, Travessa Siryaco Atherino, 100 - Centro; Cineclube Lela - itinerante, Av. Madre Benvenuta, 2007 - Itacorubi; Grupo de Encontros Culturais - GEC/CENETI, Av. Desembargador Vitor Lima, 145 - Campus UFSC Trindade; Gaspar, IFSC-Câmpus Gaspar. Rua Adriano Kormann, 510 - Bela Vista; Ibirama, UDESC, R. Dr. Getúlio Vargas, 2822 - Bela Vista; Imbituba, Biblioteca Pública Municipal Cônego Itamar Luiz da Costa, Rua Nereu Ramos, 276 - Centro; Itajaí, Teatro Sesc Itajaí, Rua Almirante Tamandaré, 259 - Centro; Jaraguá do Sul, Teatro do Sesc Jaraguá do Sul, R. Jorge Czerniewicz, 633 - Czerniewicz; Joinville, Teatro do Sesc em Joinville, R. Itaiopolis, 470 - América; Cineclube CCT, Rua Paulo Malschitzki, 200 - Zona Industrial Norte; Lages, Centro Cultural Vidal Ramos, R.Vidal Ramos, 153, Centro; Fundação Cultural de Lages, R. Benjamin Constant, 141 - Centro; Laguna, SESC - Cine Mussi, Sáles, Av. Engenheiro Colombo Machado Sales, s/nº - Centro; Rio do Sul, Sesc Rio do Sul, R. Eng. Odebrecht, 500 - Budag; São Bento do Sul, Sociedade Literária São Bento, Av. Argolo, 138 - Centro; São Joaquim, Casa do Turista, Praça Cesário Amarante; São Miguel do Oeste, Sala Multiuso - Sesc São Miguel d'Oeste, R. Alm. Tamandaré, 969 - Centro; Tubarão, Auditório do Sesc em Tubarão, Rua Antônio Hulse, 411 - Bairro Dehon; Urubici, Sesc - Sala Interativa, Av. Adolfo Konder, 2543 - Esquina; Xanxerê, Sesc, R. Cel. Passos Maia, 691 - Centro.


Circuito FAM de Cinema 2018

De 18 a 24 de maio

27 Cidades de Santa Catarina

41 Pontos de Exibição

185 Sessões de Cinema

Programação: http://www.famdetodos.com.br/programacao


22º FAM – Florianópolis Audiovisual Mercosul

19 a 24 de junho de 2018

Site Oficial: www.famdetodos.com.br

Facebook:http://www.facebook.com/FAMdetodos

Twitter: http://twitter.com/FAMdetodos

Intagram: @famdetodos

 

Inscreva-se para o teste de elenco do Rally Universitário do FAM 2018!


Estuda artes cênicas? É ator profissional? Você pode participar do Teste de Elenco que o Florianópolis Audiovisual Mercosul realiza nos dias 28 e 29 de maio, no Teatro da UFSC.

Os aprovados irão compor o catálogo de casting de atores para atuar nos curta-metragens produzidos durante o Rally Universitário Floripa 2018. Cinco atores serão selecionados como protagonistas e os demais classificados ficam disponíveis para papel de coadjuvantes. No canal do Youtube @FAMdeTodos, estarão os videobooks dos atores aprovados.

Podem participar do Teste de Elenco, estudantes do curso de Artes Cênicas e atores profissionais com o registro DRT.Para participar o candidato deve preencher a ficha de inscrição que está disponível no endereço https://goo.gl/71EuBb. Leia atentamente o regulamento, a escolha do horário deve ser feita no momento da inscrição.
A lista com os atores selecionados será divulgada no dia 4 de junho aqui no site e nas redes sociais do FAM.

Cronograma de atividades:

- De 11 a 24 de maio: Inscrição para o teste de elenco

- 28 e 29 de maio:Teste de elenco

- Dia 4 de junho: Divulgação do resultado do teste

- Dia 19 de junho: Indicação do grupo de filmagem dos protagonistas

- De 19 a 21 de junho: Período de possível integração dos atores do videobook.

- Dias 20 e 22 de junho: Ensaio das cenas e gravação

- Dia 24 de junho: Exibição do filme e premiação

Rally Universitário Floripa 2018
Desafio cinematográfico em que 25 estudantes do mercosul produzem um curta-metragem de até cinco minutos em 100 horas de produção contínua durante a realização do Florianópolis Audiovisual Mercosul.

Até 9 de junho, em dois espaços próximos à sala Lindolf Bell, no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis (SC), ocorre a exposição e feira de arte “O Mundo como Armazém”. Entre selecionados, convidados e obras do acervo, se propõe investigar questões e relações entre publicação de artista, o múltiplo, arquivo e coleção. A mostra reúne 439 artistas e cerca de mil trabalhos. A iniciativa está legitimada pelo Prêmio Edital Elisabete Anderle 2017 e integra o projeto expositivo de extensão do Museu de Arte de Santa Catarina (Masc) nas comemorações dos 70 anos da instituição que incluem as mostras “Desterro Desaterro - Arte Contemporânea em Santa Catarina”, uma coletiva com artistas de diferentes gerações e “O Tempo dos Sonhos: Arte Aborígene Contemporânea da Austrália”, projeto que traz ao Brasil a vigorosa tradição artística daquele país.

Idealizado como um grande encontro entre artistas/coletivos/editoras independentes e público, a mostra/feira reúne arte de obras que sejam múltiplos, ou seja, aquelas que são produzidas em número ilimitado, mediante diferentes processos industriais ou não como publicações de artista, livros de artista, cadernos de artista, cadernos de desenho, diários de artista, diários de bordo, postais, panfletos, cartazes, gravuras, fanzines, lambe-lambes, stickers, cartões, carimbos, objetos, etc. As tiragens são diferenciadas entre pequenas e grandes edições.

A exposição reúne o acervo do Armazém, constituído de nomes nacionais e internacionais, e artistas convidados e selecionados. Juntos, as cerca de 400 representações resultam num panorama abrangente. Sem hierarquias, a montagem adota critérios diferenciados a cada edição. Lugar do artista no sistema de arte, importante ou iniciante, sua origem, não importa. Armazém é regido por um plano de igualdade e cabe ao público fazer suas descobertas e curtir as grandes surpresas. Pelo volume de trabalhos, é recomendável ir com tempo, porque a mostra é envolvente, convida ao mergulho, à atenta observação. Só para dar algumas dicas, é possível se deparar com obras de Cildo Meirelles, Leonilson (1957-1993), Rosângela Rennó, Guto Lacaz, William Kentridge, John Cage (1912-1992), Yoko Ono, Helio Oiticica (1937-1980), Joseph Beuys (1921-1986), entre outros. No âmbito de Santa Catarina, as representações se alargam a partir da Capital, abarcando nomes como Cyntia Werner, Sérgio Adriano H, Sandra Cecruski, Editora Micronotas, da região Norte, Joinville; Daniela Zacarão e Odete Calderam, da região Sul, de Criciúma; Diana Chiodelli, Janaína Schvambach e Audrian Cassanelli, do Extremo-oeste, de Chapecó; Márcia Cardeal, de Brusque; Kim Coimbra e Sarah Uriarte, de Itajaí.

A décima sexta edição do projeto Armazém prevê também um seminário sobre o tema múltiplo e publicação de artista, em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Nos dias 8 e 9 de junho, a iniciativa finalizará com o seminário e um grande feira/encontro entre artistas/coletivos/editoras e público.

Sobre o Armazém:

Criado em 2011, o projeto Armazém apresenta, através de exposições e feiras de arte, obras que sejam múltiplos como publicações de artista, livros de artista, cadernos de artista, cadernos de desenho, diários de artista, diários de bordo, postais, panfletos, cartazes, gravuras, fanzines, lambe-lambes, stickers, cartões, carimbos, objetos, etc; ou seja, trabalhos que tenham tiragens. Três fatores dão título ao projeto: a primeira edição aconteceu em Florianópolis (SC), no Museu Victor Meirelles, instalado na casa natal de Victor Meirelles na qual funcionou um bar e armazém durante parte da primeira metade do século 20. Além das relações com o espaço físico da instituição, a edição inaugural referencia o grupo Fluxus e o texto de Arthur C. Danto, “O Mundo como Armazém: Fluxus e Filosofia”, no livro “O que é Fluxus? O que Não É! O Porquê”, publicado em 2002 pelo Centro Cultural do Banco do Brasil/The Gilbert an Lila Silverman Collection Foundation.

Outro fator inspirador é a imagem utilizada nos cartazes das edições, uma fotografia de acervo familiar da idealizadora do projeto, Juliana Crispe. Um retrato do seu bisavô, Osvaldo Manoel Valgas, conhecido como seu Vadico, que entre as décadas de 1930 e 1990 foi sócio/funcionário de um armazém, no bairro Prainha, próximo ao centro da cidade de Florianópolis.

Desde 2011, o Armazém contabiliza a participação de mais de 300 artistas/coletivos brasileiros e alguns estrangeiros. Ao longo desses anos, formou um acervo de trabalhos com mais de mil obras em sua coleção.

Armazém é um espaço propositor de relações com a arte. Nas últimas edições, um ou mais curadores são convidados a participar da seleção de artistas e obras. A ideia é compartilhar olhares diferenciados e aproximar artistas locais por onde o projeto transita com os já participantes.

Armazém propõe um jogo relacional, propicia experimentar o contato direto com os trabalhos, tocando, lendo, trocando impressões e sensações. A coleção e as mostras se dão num conjunto heterogêneo e desprendido de hierarquias, valoriza o múltiplo e o coletivo como força pulsante e necessária para as artes.

Artistas/coletivos/editoras:

A Bolha – editora, Abrigo Portátil, Adentro - Associação de Artistas Visuais da Região Oeste de Santa Catarina, Adriana dos Santos, Adriane Corrêa, Adriane Kirst, Adrieli Roman, Alessandra Barbosa, Alessandra Cavalheiro, Alex Flemming, Alex Hamburger, Alexandre Siqueira, Allan Cardoso, Alice Monsell, Alice Salvador, Aline Dias, Aline Moraes, Amir Brito Cadôr, Ana Carolina Ramos, Ana de Miranda, anailimE, Ana Gallas, Ana González, Ana Paula Lima, Ana Pi, Ana Rocha, Ana Sabiá, Ana Santos, Andante, André Berté, André Timm, Andressa Argenta, Andressa Gomes, Anete George, Angelica Neumaier, Anieli Martins, Anna Bianchi, Anna Moraes, Antonio Carlos Silva, Arnaldo Antunes, Arquivo 17, Artur Barrio, Arturo Carrera, ASH, Asikainen&Macedo, Atelier Feito em Casa, Ateliê Re Tina, Audrian Cassanelli, Augusto Benetti, Augusto de Campos, Augusto Murad, Bebeto, Ben Vautier, Bethânia Carolina Hardt, Betânia Silveira, Bia Bittencourt, Bianca Dias, Bicho Cabeludo, Bil Lühmann, Bobby Baq,Brígida Campbell, Breno Silva, Bruna Mansani, Bruna Ribeiro, Bruno Munari, Brutas, Camila Argenta, Camila do Rosário, Camila Rosa, Camila Schenkel, Caramanchão, Carina Santos, Carolina Moraes, Carla Lado B, Carlos Asp, Carlos Henrique Shoroeder, Cassia Aresta, Cássio Markowski, Cecília Vicuña, Céu da Boca, Cildo Meireles, CKrügel, Clara Fernandes, Claude Cahun, Claudia Washington, Claudia Zimmer, Claudio Pereira, Claudio Trindade, Columbeas Coletivo, Constança Lucas, Corpo Editorial, Cultura e Barbárie, Cynthia Vasconcellos, Cyntia Werner, Decimal, Dirce Körbes, Douglas Leoni, Daniel Elzirik, Daniela Avelar, Daniela Maura, Daniela Trombetta, Daniele Zacarão, Dennis Radünz, Djuly Gava, David Byrne, Diana Chiodelli, Diego de los Campos, Diego Rayck, Domingo Mestre, Dominique Nédelle, Duda Desrosiers, Edições Água para Cavalos, Editora Armadilha, Editora Caseira, Editora Micronota, Editora Não Há Contendas, Edições de Percurso, Edith Derdyk, Editora Noa Noa, Elaine Schmidlin, Élcio Miazaki, Elenice Berbigier, Elenize Dezgeniski, Eliana Borges, Eliane Prolik, Eliane Veiga, Élida Tessler, Emanuela Figueira Mello, Entulho, Érica Burini, Ernesto Bonato, Estelle Flores, Everton Leite, Fabian Antunes, Fabiana Faleiros, Fabiana Mateus, Fabiana Wielewicki, Fabio Dudas, Fabio Luis, Fabio Morais, Fabíola Scaranto, Fê Luz, Felipe Prando, Fernanda Grigolin, Fernanda Magalhães, Fernando Boppré, Fernando JC Andrada, Fernando de Tacca, Fernando Lindote, Flávia Scóz, Fluxus, Fp Rodrigues, Fran Favero, Francine Goudel, Francisco Warmling, Franzoi, F.U.D.E.U., Gabi Bresola, Gabriel Machado Kniest, Gabriela Hermenegildo, G. C. Milezzi, Genoina Battistini, Giba Duarte, Giulia Dutra, Glaucis de Morais, Glayson Arcanjo, Gleyce Cruz, Graciela Kruscinski, Grafica Olla Presion, Grupo de Estudos Estúdio de Pintura Apotheke, Grupo Deslocc, Grupo Gia, Grupo Poro, Goto, Grafatório, Guerrilla Girls, Guilherme Bruno dos Santos, Guilherme Ribeiro, Gustavo Reginato, Gustavo Torrezan, Guto Lacaz, Haroldo de Campos, Hélio Fervenza, Hélio Oiticica, Hellmannoide, Iam Campigotto, Iara Mol, Ilca Barcellos, Isabella Benvenutti, Isabel Baraona, Indiara Nicoletti, Ines Linke, Isadora Stähelin, Itamara Ribeiro, Ivan Pigozzo, Jan M.O., Janaína Corá, Janaina Schvambach, Janice Martins Appel, Jeff, Joana Corona, Joana Amarante, Joana Corona, João Anzanello Carrascoza, João Kowacs, Joaorlazaro, João Varella, Joceane Tamara Willerding, John Cage, Jorge Bucksdricker, Jornal de Borda, Joseph Beuys, Jozé Roberto da Silva, Julia Amaral, Juliana Crispe, Juliana Hoffmann, Juliana Panadés, Juliano Ventura, Julia Amaral, Julia Iguti, Júlio Martins, Julio Plaza, Kamilla Nunes, Kammal João, Karen Debértolis, Karina Segantini, Katherine Funke, Katia Speck, Kauê Garcia, Kazuo Ohno, Kelly Kreis, Kelly Luiz, Kellyn Batistela, Kim Coimbra, Laïs Krucken, Lasar Segall, Larissa Schip, Laura V. Malmegrin, Leandro Serpa, Leda Braga, Lela Martorano, Leya Mira Brander, Leonilson, Letícia Cardoso, Letícia Cobra Lima, Letícia Weiduschadt, Leto William, Lia Krucken, Lote 42, Lou Lou, Louise Ganz, Lu Renata, Luana Navarro, Lucia Mindlin Loeb, Luciana Basto, Luciana Petrelli, Luciano Faccini, Lucila Vilela, Lucimar Bello, Ludmila da Silva Ribeiro de Brito, Lugares-livro [Alyaht . Ana Paula Maich . Bianca Ziegler (Editora nadifúndio) . Carolina Rochefort . Dora Ventura . Elivelto Souza . Erico Noronha . Gabriela Cunha . Graça Gularte . Helene Sacco . Henrique Torres. Isabela Nogueira. Ítalo Franco . Joana Schneider. June Martino . Karina Gallo . Luana Alt e Renata Job (Coletivo Palavra Composta) . Mara Nunes . Márcia Sousa. Mariana Corteze . Mariane Simões . Mário Codeco . Matheus Folha . Maumau . Raphael Rosário . Rosa Fonseca . Stela Kubiaki . Thiago Brum . Thiago Paixão . Thuany Bunilha . Virna Benvenuto . Yuri Morroni], Luana Navarro, Luiz Ferreira, Luize Cornelius, Maikel da Maia, Marcel Broodthaers, Marcelo Seixas, Márcia Sousa, Márcia Cardeal, Márcia Vaitsman, Marcia Xavier, Marco Antonio Mota, Marco Oliveira, Marcos Kelle, Marcos Walickosky, Maria Fulana, Maria Ivone dos Santos, Mariana Berta, Marilá Dardot, Marina Moros, Mario Oliveira, Marta Dischinger, Marta Martins, Martha Ozzol, Martina Hotzel, Matheus Abel, Maurício Magagnin, Meg Tomio Roussenq, Meio (Daniele Marx e Marcos Sari, Membrana, Melina Mulazani, Merlin Lundi, Mia Rodrigues, Michal Kirschbaum, Michel Zózimo, Milla Jung, Milton Cazelatto, Mineva Cuevas, miríade edições, Monica Nador, Monique Bens, Moro Rodríguez, Muriel Machado, Murilo Rafael, N-1, Nara Milioli, Nauita Meireles, Nayara Brida, Neuber, Norte, Nuvem, Nunc Edições de Artista, Observatório-móvel, Odete Calderan, Osvaldo Gaona, Pablo Paniagua, Paloma Durante, Pamella Araújo, Papel do Mato Oficina Tipográfica, Par(ent)esis, Pati Peccin / Selo Patifaria, Patrícia Galelli, Paul Ramirez Jonas, Paula Borges, Paulo Bruscky, Paulo Gaiad, Paulète Cristiane Pedro Franz, Polvilho Edições, Perdidos no Espaço, Plana Editora, Priscila Costa, Priscila dos Anjos, Priscila Latreille Kolling, Priscilla Menezes, Pluvial Fluvial, Rafael Gonçalves, Rafael Lunardon / Arte e Design, Rafael Schultz, Rafael Toledo, Raquel Ferreira, Raquel Stolf, Recibo, Regina Melim, Regina Silveira, Regina Vater, Reuben da Rocha, Renata Marquez, Reunião Clube do Múltiplo - Museu Victor Meirelles, Revista Canguru, Ricardo Aleixo, Ricardo Basbaum, Ricardo Corona, Ricardo Lísias, Ricardo Mello, Ricardo Ramos, Rita Eger, Rita da Rosa, Roberta Tassinari, Roberto Freitas, Rogerio Ghomes, Rosângela Rennó, Rosana Bortolin, Rubens Oestroem, Ruth Steyer, Sandra Checruski, Sandra Correia Favero, Sandra Souza, Sara Ramos, Sarah Uriarte, Sebastião G. Branco, Selo Armazém, Sergio Adriano H., Silfarlem Oliveira, Silvana Leal, Silvana Macêdo, Silvia Teske, Sofia Brightwell, Sofia Brito, Sol Casal, Sonia Brida, Sonia Loren, Sophie Calle, Susana Bianchini, Susano Correia, ta.rafa, Tarkóvski, Telma Scherer, Teresa Siewerdt, Tharciana Goulart, Thiago Mello Brito, Tina Merz, Traplev, Trio Hibisco, Tuane Eggers, Tunga, Ulises Carrión, Ulisses Lociks, Valêncio Xavier, Valmir Knop Junior, Vanda Kair, Vanessa Schultz, Virginie Despentes, Vinícius Flores, Vinícius Nepomuceno, Waltércio Caldas, Wellington Cançado, William Kentridge, Yara Guasque, Yoko Ono, Yves Klein, Yuri Firmeza, Zansky, Zhao Bandi e Zulma Borges


Equipe técnica

Proponente: Juliana Crispe

Produção executiva: Francine Goudel

Assistência de produção: Franciele Favero

Organização: Fran Favero, Francine Goudel, Juliana Crispe e Raquel Stolf
Equipe e conselho curatorial: Daniela Avelar, Duda Desrosiers, Fran Favero, Francine Goudel, Joana Amarante, Julia Amaral, Juliana Crispe, Michal Kirschbaum, Raquel Stolf, Patrícia Galelli e Silfarlem Oliveira
Curadoria educativa: Andressa Argenta, Isadora Stähelin e Juliana Crispe
Ação educativa: Andressa Argenta, Fabio Luis, Isadora Stähelin, Joana Amarante, João Lazaro, Kátia Speck e Mia Rodrigues
Montagem: Andressa Argenta, Anna Moraes, Betania Silveira, Carolina Favero, Daniela Avelar, Diego de los Campos, Elaine Schmidlin, Fabio Luis, Fran Fravero, Francine Goudel, Franzoi, Joana Amarante, Juliana Crispe, Juliana Hoffmann, Kellyn Batistela, Luciana Petrelli, Michal Kirschbaum, Rodrigo Sambaqui, Sandra Correira Favero e Silfarlem Oliveira
Conservação, preservação e catalogação do acervo: Sandra Checruski

Assistente de catalogação do acervo: Joana Amarante
Fotografias: Duda Desrosiers e Rodrigo Sambaqui
Designer gráfica: Tina Merz

Realização:

Projeto Armazém, Museu de Arte de Santa Catarina (Masc), Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais/Udesc

Produção:

Lugar Específico

Apoio:

Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura 2017, Funcultural, Fundação Catarinense de Cultura e Governo do Estado de Santa Catarina


Apoio Cultural:

Departamento de Artes Visuais Ceart/Udesc, Espaço Cultural Armazém – Coletivo Elza, Farmácia Ponta do Goulart e Multicor Fine Art


Serviço:

O quê: 16º Armazém, projeto contemplado pelo Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura-2017
Quando: Até 9 de junho de 2018, 13h às 21h
Onde: Museu de Arte de Santa Catarina – anexo Sala Lindolf Bell, Centro Integrado de Cultura, av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis (SC), tel.: tel.: 3664-2555

Quanto: Gratuito

Feira e Seminário: 8 e 9 de junho de 2018, 9h às 21h.

 

Fonte: texto de Néri Pedroso/Divulgação

O Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC) e a produtora Novelo Filmes realizam a primeira sessão em tela grande do documentário catarinense "Círculos”. A sessão será na Sala de Cinema do CIC, no dia 08 de maio (terça-feira), às 19h30, com entrada gratuita.

O longa faz um recorte sobre os estranhos sinais gigantescos que aparecem em plantações de trigo no interior de Santa Catarina desde 2008 e sempre na mesma época do ano. Foi produzido como um telefilme especial pré-licenciado para o History Channel Brasil e também licenciado para a RIC Record SC, onde foi exibido dividido em episódios. A única vez que o filme foi exibido em uma sala de cinema foi antes de ser finalizado, em uma sessão especial do Fantaspoa – Festival de Cinema Fantástico de Porto Alegre, em 2016.

O filme Círculos é uma produção Novelo Filmes, produzido por Ana Paula Mendes e Cíntia Domit Bittar, dirigido por Cíntia Domit Bittar, com Lucas de Barros e Maria Augusta V. Nunes como produtores associados, e apoio técnico da Marc Films. Após a sessão, haverá um bate-papo com a equipe e o público poderá fazer a tão desejada pergunta: afinal, são ET’s?

SINOPSE
Desde 2008, estranhas formações de até 110 m de diâmetro - os chamados agroglifos - surgem nas plantações de trigo de Ipuaçu, cidade de 7 mil habitantes, no oeste catarinense. O fenômeno ocorre anualmente e sempre na mesma época, intrigando ufólogos e moradores. "Círculos" narra com toques de mistério e humor a expectativa pelo agroglifo de 2015.

CÍRCULOS
Documentário | 75 min | 2016 | Livre | SC
Direção: Cíntia Domit Bittar
Produção: Novelo Filmes

REDES SOCIAIS
Página no Facebook: https://www.facebook.com/circulosofilme/
Evento no Facebook: http://bit.ly/circulos_cinemacic

SERVIÇO
O quê: Sessão gratuita do documentário catarinense CÍRCULOS
Quando: 08/05/2018 (terça-feira) às 19h30
Onde: Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC) -Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600, Agronômica, Florianópolis (SC)