FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

Estão abertas as inscrições para as duas novas turmas da oficinas O Teatro e a Dança na Redescoberta do Corpo Idoso. Os encontros ocorrerão de 4 de março a 29 de outubro de 2020, em dois dias: às quartas-feiras ou às quintas-feiras (conforme preferência do participante), das 15h às 17h, nas Oficinas de Arte do Centro Integrado de Cultura (CIC).

A oficina une a dança e o teatro na investigação de diferentes modos de mover o corpo, podendo assim redescobri-lo. A proposta busca desconstruir uma série de padrões que o corpo estabelece durante a vida, tornando-se muitas vezes mais mecânico e rígido. Um dos benefícios das práticas propostas nesta oficina é driblar essas características do corpo que envelhece e a tendência de ir sempre pelos mesmos lugares, possibilitando às/aos participantes um novo modo de ver/ser o corpo. Os encontros irão trabalhar fatores como atenção, disponibilidade, precisão, autonomia e percepção, tudo isso na relação com o outro, o ambiente e o tempo presente.

Os encontros serão ministrados pela educadora, atriz, dançarina e produtora cultural Thaina Gasparotto. Graduada no curso de Licenciatura em Teatro da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), em 2017, possui formação em técnicas de Educação Somática (2017), com Débora Bolsanello. Sua experiência como docente teve início em 2014, em oficinas de projetos independentes. Desde 2016 ministra aulas de dança contemporânea na cidade de Florianópolis e oficinas de dança e teatro para a terceira idade.

Serviço:

O quê: Oficina O Teatro e a Dança na Redescoberta do Corpo Idoso
Ministrante: Thaina Gasparotto
Quando: de 4 de março a 29 de outubro de 2020.
Turma 1: quartas-feiras, das 15h às 17h
Turma 2: quintas-feiras, das 15h às 17h
(conforme preferência de horário do participante)
Carga Horária: 70h (35 encontros com duração de 2h cada)
Mensalidade: R$60,00 (aula avulsa R$15,00)
*Aula experimental e gratuita dia 4 de março de 2019, às 15h às 17h.
Mais informações: (48) 999374047


-

Atualização: inscrições encerradas; vagas preenchidas.

O Núcleo de Ação Educativa (NAE) do Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) está com inscrições abertas gratuitamente para a Oficina de Experimentação Artística para Famílias. O encontro ocorrerá no dia 7 de março de 2020, das 10h às 12h, no espaço Claraboia do Museu.

Para se inscrever, os interessados devem enviar e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., com os seguintes dados:
- Nome completo, idade e escolaridade de cada criança; 
- Nome da escola em que a criança está matriculada;
- Nome completo, idade, profissão e escolaridade dos adultos que acompanharão as crianças (pais e/ou responsáveis);
- Telefone (residencial e/ou celular) para contato; 
- Bairro/Cidade;

São oferecidas 20 vagas para adultos e crianças. Podem participar famílias com crianças na faixa etária de 6 a 12 anos e somente serão aceitas inscrições mediante o acompanhamento de familiares ou responsáveis (adultos) no dia da oficina.

A oficina faz um diálogo com a exposição Thesaurus - Asp 70 anos, comemorativa aos 70 anos de nascimento do artista visual Carlos Asp, com desenhos pertencentes ao acervo do MASC, de colecionadores e do próprio artista. Mais informações podem ser obtidas diretamente com o NAE do MASC, pelos telefones (48) 3664-2632 / 2633 (de segunda a sexta-feira, das 13h às 19h). O Museu está localizado no Centro Integrado de Cutura (CIC), na Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600, bairro Agronômica, em Florianópolis (SC).

Com histórias de vida e resistência sobre a força da cultura do povo negro no Brasil, o longa-metragem Quem precisa de identidade? terá pré-estreia no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), no dia 5 de março, às 20h. Numa coprodução da Contraponto e Manacá Cine para o canal CineBrasil TV, o documentário é dirigido por Kátia Klock e Márcia Navai, que assina o argumento com Ana Veiga, e tem direção de produção de Lícia Brancher. Entre os pontos de destaque está a música-tema Lugar de Identidade, composta e interpretada por Marissol Mwaba, com a participação de François Muleka, Dandara Manoela, Alegre Corrêa e Addia Furtado.

O filme foi rodado em quatro cidades brasileiras - Florianópolis e Tubarão (SC), São Paulo (SP) e Salvador (Bahia). A equipe contou com a consultoria de Karine de Souza Silva, professora doutora do curso de Relações Internacionais da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina). “Estou honrada de estar com todas essas pessoas tão significantes nesse projeto. O resultado é uma costura de personagens em que tudo ficou muito bem encaixado”.

Uma das vozes do documentário é de Livia Sant'Anna Vaz, promotora de justiça do Ministério Público da Bahia. “Nós não conhecemos os heróis e heroínas negros do nosso país. Muito pelo contrário, os negros são sempre representados nos livros de história como pessoas subalternas e inferiorizadas”. Nesse mosaico de histórias que compõem “Quem precisa de identidade?”, está também o registro do encontro da equipe com Nilma Lino Gomes, professora, educadora e ex-Ministra das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (2015-2016).

O documentário apresenta imagens de arquivo da AFP - Agence France-Presse, da Fundação Pierre Verger e do Acervo Digital de Cultura Negra, Cultne. Realizado com os recursos do BRDE, através do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), da ANCINE (Agência Nacional de Cinema), o filme tem apoio do canal CineBrasil TV.

A montagem documental - A narrativa é construída a partir de discussões de intelectuais e professores universitários, que se mesclam às histórias de personagens afro-brasileiros, haitianos e africanos de várias nacionalidades. “Eu me realizo ouvindo histórias e dando voz a essas histórias. Esse trabalho, em particular, é intenso e desafiador por tratar de um assunto forte e delicado como o racismo estrutural no Brasil”, comenta Kátia Klock.

Na opinião de Márcia Navai, “a luta antirracista, pela igualdade, pelo direito à cultura e à religião faz parte do dia a dia do povo preto. O filme vem dizer que é hora dessa luta fazer parte das vidas de cada uma e cada um de nós. É disso que o documentário fala e é isso que ele quer passar para todas as pessoas que puderem assistir”.

Ana Veiga, historiadora e uma das autoras do argumento, conta que “a escolha do tema do documentário não trata apenas de racismo e preconceito, mas da própria estrutura da sociedade brasileira e sua herança escravista, que é provocada ainda mais com a presença dos imigrantes negros e negras que vêm de tantos lugares”.

Sinopse

Histórias íntimas e coletivas despertam sensibilidades para questões sociais latentes. São mulheres, homens, pessoas LGBTs, povo de santo, imigrantes que ganham a tela com suas vivências e experiências, colocando em debate o que é ser negra e negro no Brasil. Em grupos e em ações individuais elas mobilizam ativismo e superação na luta cotidiana pela existência e por um lugar de respeito e de direitos.

Ficha Técnica

COPRODUÇÃO Contraponto e Manacá Cine DIREÇÃO Kátia Klock e Márcia Navai ARGUMENTO Ana Veiga e Márcia Navai PRODUÇÃO EXECUTIVA Lícia Brancher . Kátia Klock . Ana Veiga . Márcia Navai ROTEIRO Ana Veiga e Kátia Klock DIREÇÃO DE PRODUÇÃO Lícia Brancher ASSISTÊNCIA DE PRODUÇÃO Sansara Buriti DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA Kike Kreuger . Rodney Suguita SOM DIRETO Ingrid Gonçalves . Nivaldo Oliveira . Edson Spitaletti . Marcello Benedicts . Ju Baratieri MONTAGEM Nara Hailer . Kátia Klock . Márcia Navai EDIÇÃO DE SOM E MIXAGEM Leandro Cordeiro FINALIZAÇÃO E ARTE Erico Dias MÚSICA ORIGINAL Marissol Mwaba.

Serviço:
O quê: Pré-estreia do documentário Quem precisa de identidade? (Brasil, 83min, 2020)
Quando:  5 de março de 2020, às 20h
Onde: Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica, Florianópolis

Entrada gratuita

O Teatro Ademir Rosa recebe nesta quarta-feira (4) o concerto beneficente Mulheres em Movimento, que vai arrecadar fundos em prol da reforma e adaptação da estrutura da 6ª Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI), no bairro Agronômica, em Florianópolis. O espetáculo começa às 20h.

O objetivo é tornar o espaço mais humanizado durante o atendimento de vítimas de violência doméstica. A noite terá, no palco, a participação do Sexteto de Cordas da Camerata Florianópolis; do pianista Alberto Heller; do grupo de choro de Wagner Segura e convidados; das sopranos Carla Domingues e Masami Ganev; da violinista Iva Giracca; do gaiteiro Roger Correa; do grupo de danças espanholas do Studio Ale Gutierres Arte&Terapia; com narração de Maristela Borges .

Serviço:

O quê: Concerto beneficente Mulheres em Movimento
Quando: 4 de março de 2020, às 20h
Onde: Teatro Ademir Rosa - Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica, Florianópolis
Ingressos: R$ 50,00 inteira; R$ 25,00 meia-entrada (estudantes, idosos, pessoas com deficiência, menores de 18 anos, doadores regulares de sangue e professores).
Venda nas bilheterias dos teatros. Ingressos numerados.

Com o objetivo de atrair a visitação de grupos escolares neste início de ano letivo, o Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC) prorrogou até 29 de março a exposição O que VEM antes da nuVEM . De cunho pedagógico, a mostra recebe grupos gratuitamente mediante agendamento prévio pelo telefone (48) 3664-2652 ou e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Nas últimas décadas o armazenamento e a reprodução de arquivos migraram do físico para o digital. Mudou a forma de salvar documentos, ouvir música e assistir conteúdo audiovisual. Crianças e jovens sequer conhecem as fitas magnéticas. Assim, a partir do acervo de equipamentos e da coleção didática do MIS/SC, a exposição faz um passeio no tempo mostrando suportes, mídias e players que fizeram história no registro de vídeos, fotografias e músicas até o momento atual, com o advento da digitalização dos arquivos.

Estão expostas cerca de 50 peças que revelam como era feito o armazenamento e como eram os meios de reprodução antes do surgimento das chamadas "nuvens". A visitação pode ser feita de terça a domingo das 10h às 21h. O agendamento é gratuito e contempla grupos de até 30 pessoas, que poderão apreciar a exposição em cartaz.

Serviço:

O quê: Exposição O que VEM antes da nuVEM
Local: Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC) - Localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Visitação: prorrogada até 29 de março de 2020. De terça-feira a domingo, das 10h às 21h
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita.