FCC FacebookTwitterYoutube

O hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina será palco, no dia 12 de novembro, às 18h30, da roda de conversa Debret realmente esteve e pintou no Sul do Brasil?. O encontro terá como debatedores o jornalista e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina Nelson Adams; e o arquiteto e mestre em História Fabiano Teixeira dos Santos. A mediação será do professor João Pacheco de Souza. A entrada é gratuita.

Jean-Baptiste Debret (1768-1848) é considerado um dos mais importantes integrantes da Missão Artística Francesa (1817), iniciativa de Dom João VI que foi responsável pela introdução do Neoclassicismo e pela renovação das artes plásticas no Brasil, na primeira metade do século XIX. No Rio de Janeiro, Debret fundou a Academia Imperial de Belas Artes, onde lecionou, tendo representado em sua extensa obra, como exímio artista, praticamente todos os aspectos do cotidiano da época, retratando os costumes das elites, dos indígenas e dos trabalhadores escravizados, as cidades, a fauna e a flora locais.

De volta à França em 1831, publicou “Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil”, obra na qual reúne textos e imagens de sua autoria, documentando a natureza, o homem e a sociedade brasileira, durante sua permanência no país. Mais recentemente foi revelada uma vasta coleção de aquarelas atribuídas a Debret, em sua maioria inéditas, retratando principalmente paisagens, cidades e povoados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, as quais teriam sido produzidas pelo francês durante sua “Viagem ao Sul”. Desde então, muitos desses desenhos tem inclusive ilustrado trabalhos acadêmicos e livros de História, consistindo em valiosa fonte iconográfica, por representarem muitas vezes as mais antigas vistas de que se tem conhecimento para certas localidades.

Porém, a partir da identificação de uma série de equívocos nessas obras, como a divergência de estilo com outros desenhos sabidamente produzidos por Debret e legendas com os nomes das localidades representadas trocadas ou mesmo apresentando erros, tem se levantado os seguintes questionamentos: Debret esteve realmente no Sul do Brasil? É ele o autor das polêmicas vistas? Se não foi ele que viajou e produziu esse material, quem e quando o fez? Essas e outras perguntas tem sido feitas por pesquisadores como Nelson Adams Filho e Fabiano Teixeira dos Santos, interessados em trazer à luz
novas informações que contribuam e elucidem os fatos relacionados à suposta – e intrigante – passagem de Debret pelo Sul.

Sobre os debatedores

Nelson Adams Filho: Jornalista profissional diplomado e Bacharelando em História. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (IHGSC) e da Academia dos Escritores do Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Presidente do Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural de Torres e Coordenador do Centro de Estudos Históricos de Torres e Região. Autor de nove livros, dentre eles o que inclui a pesquisa sobre a “Coleção Viagem ao Sul”, atribuída a J. B. Debret. Reside em Torres (RS).

Fabiano Teixeira dos Santos: Arquiteto e Urbanista, Mestre em História e Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (PósARQ/UFSC). Membro da Associação Catarinense de Conservadores e Restauradores de Bens Culturais (ACCR). Professor e pesquisador, tem se dedicado principalmente ao estudo das contribuições portuguesas à arquitetura em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, publicando em 2015 o livro A Casa do Planalto Catarinense: Arquitetura rural e urbana nos Campos de Lages, séculos XVIII e XIX. Reside em Florianópolis (SC).

Serviço:

O quê: Roda de conversa Debret realmente esteve e pintou no Sul do Brasil?
Quando: 12 de novembro de 2019, às 18h30
Onde: Hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina
Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis
Entrada gratuita