FCC FacebookTwitterYoutube

Já está aberta a exposição fotográfica “Expressionismo Serrano” no hall da Biblioteca Pública de Santa Catarina. A mostra segue até o dia 10 de dezembro de 2019, com entrada gratuita. O trabalho foi realizado pelo fotógrafo e multimídia Sérgio Giron.

São 14 fotografias em técnicas colorida e preto e branco das paisagens da região da Coxilha Rica, em Lages. "As imagens poéticas revelam um mundo próprio e são um convite a observar a luz solar, sentir a vida, liberar o olfato, curtir o frio e o vento na pele e assim receber o calor humano e solar da mágica Serra Catarinsense", explica o fotógrafo. Ele completa: "Fotografias são instantes, recortes do tempo e do espaço transformados em duas dimensões que carregam consigo o sentimento e reproduzem a harmonia e a intimidade deste tempo e desta vida.  Estas fotografias são também um convite à reflexão. Procuram transportar quem, na fruição delas, se permite a viagem a outras paragens como a Serra, já que a fotografia não se encerra nos limites de seu quadro, mas naquilo que a imaginação do espectador transcende de seus limites físicos".

 

Serviço:

Mostra “Expressionismo Serrano"
Visitação: de 8 de novembro a 10 de dezembro de 2019
Local: Hall da BPSC
Horário de atendimento: segunda a sexta-feira das 8h às 19h. Sábado das 8h às 11h45
R. Ten. Silveira, 343 - Centro, Florianópolis
Classificação indicativa livre
Entrada gratuita.

 

A Hemeroteca Digital Catarinense será tema de duas palestras que ocorrem nos dias 7 e 8 de novembro em Florianópolis. A iniciativa é uma parceria entre o Centro de Ciências Humanas e da Educação (FAED) e Instituto de documentação e Investigação em Ciências Humanas (IDCH) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) e a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) por meio da Biblioteca Pública de Santa Catarina.

No dia 7 de novembro (quinta-feira), às 16h30, os palestrantes Vinícius Pontes Martins e Alzemi Machado, com mediação do professor Dr. Reinaldo Lohn, falarão sobre a Digitalização de Periódicos Brasileiros e a Construção de Bibliotecas Digitais. O encontro ocorrerá no auditório da Biblioteca Pública de Santa Catarina, no centro da cidade, com entrada gratuita.

Já no dia 8 de novembro (sexta-feira), os palestrantes falarão a respeito da Rede de Memória Virtual Brasileira: história e arquivos digitais e a Hemeroteca Digital Catarinense. A palestra ocorre às 14h, no Auditório Tito Sena, na Faed/Udesc, no bairro Itacorubi. A entrada também é gratuita.

A iniciativa visa divulgar a Hemeroteca Digital Catarinense aos seus mais diversos públicos e instituições (universidades, pesquisadores, usuários em geral). Ao mesmo tempo, continuar a construção da parceria entre a iniciativa e a Biblioteca Nacional, no sentido de consolidar as políticas de digitalização e construção de repositórios digitais de periódicos regionais, interagindo e armazenando conjuntamente na base de dados da Hemeroteca Digital Brasileira, e consolidando a Rede Memória Virtual Brasileira.

Sobre os palestrantes

Vinícius Martins Pontes: atuando na BNDigital desde 2005, coordenou em 2006 a equipe de levantamento, tratamento técnico e digitalização de 10 mil fotografias da coleção do Imperador Pedro II. Desde 2007 como coordenador de projetos da BNDigital, passou a gerenciar projetos colaborativos com outras instituições nas áreas de formulação de parcerias, identificação de acervos que pudessem complementar a coleção digital da BNDigital, digitalização e gestão de portais. Dentre os projetos e programas inseridos neste contexto estão a Rede da Memória Virtual Brasileira, a Hemeroteca Digital Brasileira, a Biblioteca Digital Luso-Brasileira e a Brasiliana Fotográfica. Atualmente é responsável pela infraestrutura,
programas e preservação digital da BNDigital.

Alzemi Machado: bibliotecário e Mestre em Educação e Cultura formado pela Udesc. Tem formação na área de Conservação e Encadernação de Acervos em Papel. Atuou
como bibliotecário e coordenador da Casa da Memória – Centro de Documentação de Florianópolis. Atualmente, é coordenador técnico da Hemeroteca Digital Catarinense.

O Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra as Mulheres terá uma agenda especial na Biblioteca Pública de Santa Catarina. O advogado criminalista Valdir Mendes falará sobre o tema na palestra Reflexões sobre a violência contra as mulheres, no dia 25 de novembro, às 19h.

A palestra vai abordar a Lei Maria da Penha e a Lei do Feminicídio, com orientações sobre como proceder na busca de ajuda em casos de violência contra a mulher. Além de advogado, Valdir Mendes é professor, escritor, palestrante, presidente da Associação de Letras do Brasil de Santa Catarina (ALBSC), presidente da ALBSC seccional de Florianópolis, ex-presidente da Associação dos Advogados Criminalistas de Santa Catarina, ouvidor da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas, coordenador do Comitê Catarinense de Combate à Tortura e membro do Instituto dos Advogados de Santa Catarina.

Serviço:

O quê: Palestra Reflexões sobre a violência contra as mulheres
Quando: 25 de novembro de 2019, às 19h
Onde: Biblioteca Pública de Santa Catarina
Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis
Entrada gratuita

 

O hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina será palco, no dia 12 de novembro, às 18h30, da roda de conversa Debret realmente esteve e pintou no Sul do Brasil?. O encontro terá como debatedores o jornalista e membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina Nelson Adams; e o arquiteto e mestre em História Fabiano Teixeira dos Santos. A mediação será do professor João Pacheco de Souza. A entrada é gratuita.

Jean-Baptiste Debret (1768-1848) é considerado um dos mais importantes integrantes da Missão Artística Francesa (1817), iniciativa de Dom João VI que foi responsável pela introdução do Neoclassicismo e pela renovação das artes plásticas no Brasil, na primeira metade do século XIX. No Rio de Janeiro, Debret fundou a Academia Imperial de Belas Artes, onde lecionou, tendo representado em sua extensa obra, como exímio artista, praticamente todos os aspectos do cotidiano da época, retratando os costumes das elites, dos indígenas e dos trabalhadores escravizados, as cidades, a fauna e a flora locais.

De volta à França em 1831, publicou “Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil”, obra na qual reúne textos e imagens de sua autoria, documentando a natureza, o homem e a sociedade brasileira, durante sua permanência no país. Mais recentemente foi revelada uma vasta coleção de aquarelas atribuídas a Debret, em sua maioria inéditas, retratando principalmente paisagens, cidades e povoados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, as quais teriam sido produzidas pelo francês durante sua “Viagem ao Sul”. Desde então, muitos desses desenhos tem inclusive ilustrado trabalhos acadêmicos e livros de História, consistindo em valiosa fonte iconográfica, por representarem muitas vezes as mais antigas vistas de que se tem conhecimento para certas localidades.

Porém, a partir da identificação de uma série de equívocos nessas obras, como a divergência de estilo com outros desenhos sabidamente produzidos por Debret e legendas com os nomes das localidades representadas trocadas ou mesmo apresentando erros, tem se levantado os seguintes questionamentos: Debret esteve realmente no Sul do Brasil? É ele o autor das polêmicas vistas? Se não foi ele que viajou e produziu esse material, quem e quando o fez? Essas e outras perguntas tem sido feitas por pesquisadores como Nelson Adams Filho e Fabiano Teixeira dos Santos, interessados em trazer à luz
novas informações que contribuam e elucidem os fatos relacionados à suposta – e intrigante – passagem de Debret pelo Sul.

Sobre os debatedores

Nelson Adams Filho: Jornalista profissional diplomado e Bacharelando em História. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina (IHGSC) e da Academia dos Escritores do Litoral Norte do Rio Grande do Sul. Presidente do Conselho do Patrimônio Histórico e Cultural de Torres e Coordenador do Centro de Estudos Históricos de Torres e Região. Autor de nove livros, dentre eles o que inclui a pesquisa sobre a “Coleção Viagem ao Sul”, atribuída a J. B. Debret. Reside em Torres (RS).

Fabiano Teixeira dos Santos: Arquiteto e Urbanista, Mestre em História e Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (PósARQ/UFSC). Membro da Associação Catarinense de Conservadores e Restauradores de Bens Culturais (ACCR). Professor e pesquisador, tem se dedicado principalmente ao estudo das contribuições portuguesas à arquitetura em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, publicando em 2015 o livro A Casa do Planalto Catarinense: Arquitetura rural e urbana nos Campos de Lages, séculos XVIII e XIX. Reside em Florianópolis (SC).

Serviço:

O quê: Roda de conversa Debret realmente esteve e pintou no Sul do Brasil?
Quando: 12 de novembro de 2019, às 18h30
Onde: Hall de entrada da Biblioteca Pública de Santa Catarina
Rua Tenente Silveira, 343 - Centro - Florianópolis
Entrada gratuita

Como forma de estimular a leitura entre os mais jovens, a Biblioteca Pública de Santa Catarina vai premiar os leitores com idades entre 0 e 18 anos que mais fizeram empréstimos de obras no setor Infantojuvenil durante o ano de 2019. O prêmio Estrela da Leitura será entregue no dia 30 de outubro, às 18h, no Auditório da BPSC.

A iniciativa, que existe desde 2015, tem o objetivo de fomentar a leitura na infância. Além do reconhecimento, os leitores serão premiados em duas categorias: Livros Infantojuvenis (subdividida por faixa etária de 0 a 7 anos, de 8 a 11 anos e de 12 a 17 anos); e Gibis de 0 a 18 anos. Serão premiados três leitores em cada faixa etária com um kit de livros e um na categoria Gibis. Além disso, o primeiro lugar de cada faixa etária da categoria Livros Infantojuvenis também ganhará um par de ingressos para o parque Beto Carrero World.

estrelas ganhadores 2019