FCC FacebookTwitterYoutube

De 15 a 19 de maio, o Teatro Ademir Rosa, localizado no Centro Integrado de Cultura (CIC), receberá cinco shows que fazem parte da programação do Floripa Jazz Festival.

Confira a programação:

Dia 15/05 (quarta-feira): Céu - abertura Héloa
Horário: 20h30
Ingressos: R$120 (inteira) R$ 60 (meia) / R$50 (clube)

Artista de destaque da música brasileira contemporânea, premiada em duas categorias no Grammy Latino de 2016, Céu celebra seus quinze anos de carreira com uma turnê especial.

Nos shows, mundialmente exaltados pela energia e sintonia com o público, a cantora e compositora paulistana apresenta os maiores sucessos de seus quinze anos de carreira. Unindo a tropicalidade brasileira às mais diversas referências sonoras, embalam as performances canções como "Lenda", "Malemolência", "Cangote", "Retrovisor" e "Perfume do invisível".

A abertura fica por conta da cantora sergipana Héloa, vem com nova formação de músicos, canções e composições. É o resultado da imersão na estrada com o seu primeiro disco "Eu" junto com o processo da busca pelo autoconhecimento, enquanto mulher, negra, candomblecista e sua caminhada espiritual.


Dia 16/05 (quinta-feira): Yamandu Costa - abertura Trio 3-63
Horário: 20h30
Ingressos: R$120 (inteira) R$ 60 (meia) / R$50 (clube)

Gaúcho de Passo Fundo, o compositor e violonista é referência mundial quando o assunto é música brasileira. Já aos 17 anos foi reconhecido como "músico revelação do violão brasileiro". Hoje, é tido como um dos maiores fenômenos da música brasileira de todos os tempos.

Por seu extenso repertório - e também por seu violão de sete cordas, passam choro, música clássica brasileira, tangos, milongas, zambas e chamamés. Talvez por essa mistura, e por levar o público ao delírio, ele seja conhecido como "precursor das águas".

A abertura da noite fica por conta do Trio 3-63, formado por uma flautista, um percussionista e um pianista. Com vasta experiência em palcos e estúdios da música popular, de câmara e sinfônica, os músicos propõem um passeio pelo legado de grandes instrumentistas brasileiros, até a atualidade da música instrumental brasileira.

Dia 17/05 (sexta-feira): Thiago Espirito Santo e Joshua Redman (part. Grégoire Maret) - abertura Quartabê
Horário: 20h30
Ingressos: R$120 (inteira) R$ 60 (meia) / R$50 (clube)

Uma noite de jazz à brasileira com pitadas internacionais. O baixista brasileiro Thiago Espirito Santo sobe ao palco ao lado do americano Joshua Redman e o gaitista suíço Gregóire Maret. A abertura fica por conta dos consagrados músicos Andréa Ernst Dias, Paulo Braga e Marcos Suzano que apresentam pela primeira vez em florianópolis o Trio 3-63.

Por seu estilo e técnica singulares, Thiago Espirito Santo é reconhecido como um dos mais versáteis e originais contrabaixistas em atividade no mundo. Completando 25 anos de carreira, Thiago convida para essa apresentação um dos mais aclamados e carismáticos músicos de jazz da atualidade, o saxofonista americano Joshua Redman.

O grupo de Thiago conta com Cuca Teixeira na bateria, Bruno Cardozo no piano, Daniel Santiago na guitarra e com a participação especial do gaitista suíço, Grégoire Maret.

A abertura fica por conta da banda Quartabê. Composto majoritariamente por mulheres, o quarteto vem aprofundando um trabalho de recriação da obra de compositores brasileiros com uma abordagem não convencional - inicialmente com Moacir Santos e, mais recentemente, Dorival Caymmi - inserindo recursos eletrônicos e referências como a vanguarda paulista e a música contemporânea erudita.


Dia 18/05 (sábado): Eumir Deodato - abertura Vitor Araujo
Horário: 20h30
Ingressos: R$120 (inteira) R$ 60 (meia) / R$50 (clube)

Ícone musical e patrimônio nosso, Deodato é pianista, arranjador e produtor musical. Antes de radicar-se nos Estados Unidos, participou de movimentos como a Bossa Nova e o Samba Jazz, ainda nos anos 60. Já em solo americano, trabalhou ao lado de nomes como Frank Sinatra,Tony Bennett, Tom Jobim, Aretha Franklin e Björk, com quem trabalhou nos anos 90.

Junto a outros músicos, o Quinteto Eumir Deodato celebra os principais sucessos da carreira do maestro, que soma em seu trabalho mais de 500 discos, um Grammy Award e incontáveis composições para o cinema. Impossível traduzir um artista de tamanha grandeza em apenas algumas linhas.

A abertura da noite fica por conta do pianista Vitor Araújo, escolhido entre mais de 100 inscritos pela seletiva Tratore/Floripa Jazz Festival. Ele traz a Florianópolis seu trabalho mais recente, o disco Levaguiã Terê, que traz fortes influências de The Knife, Bjork, Animal Collective e Radiohead. Uma curiosidade: Todo o disco, desde a percussão até a orquestração para cordas e duo de trompas, tem a assinatura de Vitor.

Dia 19/05 (domingo): YANGOS - abertura Orquestra Manancial da Alvorada
Horário: 17h
Ingressos: R$ 50,00 inteira; R$ 25,00 meia-entrada (estudantes, idosos, pessoas com deficiência, menores de 18 anos, doadores regulares de sangue, professores e jovens carentes); R$ 40,00 convênio (Clube NSC, Notícias do Dia), R$ 25,00 Clube Floripa Jazz.

O grupo de multi-instrumentistas Orquestra Manancial da Alvorada impressiona com sua mistura de gêneros musicais influenciada por todos os cantos do mundo. Híbridos não só musicalmente, mas também no que diz respeito à performance, o show é um misto de projeções visuais, artes cênicas e, claro, música. A proposta de "chocar estilos numa mescla" é cumprida à risca.

Já a banda YANGOS é um dos grupos referência da música instrumental sul-brasileira, capaz de unir piano, percussão, acordeon e violão um encontro potente, adicionando pitadas jazzísticas a milongas, chamamés e chacarera em suas canções. Formada em 2005, na Serra Gaúcha, YANGOS segue com mesmo formação e atuação ininterrupta nesses mais de 12 anos de carreira.

Nesse período a banda soma quatro discos e um DVD. A indicação ao Grammy Latino do quarto disco da banda, Chamamé, representa um novo passo na carreira do quarteto, que vem consolidando seu trabalho como referência da música instrumental feita no sul do Brasil.