FCC FacebookTwitterYoutube

Logo GOV SC 2019 Colorido

É com imenso pesar que a Fundação Catarinense de Cultura registra o falecimento do artista plástico Silvio Pléticos, aos 95 anos, vítima de pneumonia. O velório ocorrerá a partir das 8h desta terça-feira (10) no Espaço Lindolf Bell, no Centro Integrado de Cultura (CIC).

Ele foi homenageado recentemente durante as comemorações de 40 anos da FCC, em abril de 2019, quando uma de suas obras foi exposta no mesmo local que agora recebe o corpo do artista. No ano anterior, Pléticos teve suas obras expostas na mostra individual Pléticos - Espaço, Geometria e Construção, no Museu de Arte de Santa Catarina (MASC), com curadoria de João Otávio Neves Filho (Janga), falecido em 2018.

Atualmente, o público pode conferir duas obras de Pléticos na exposição Coleção MASC 70 anos: Natureza Morta (1963) e Gato e Peixe (sem data).

Biografia

Nascido em Pula, atual Croácia, Pléticos chegou a Florianópolis em meados dos anos 1960, depois de passar por Ribeirão Preto (SP) e Passo Fundo (RS). Aqui, segundo o curador Janga na ocasião de sua derradeira exposição no MASC, Pléticos se tornou interlocutor para uma geração de artistas catarinenses interessada no campo da experimentação plástica, de novos conceitos e propostas, utilização de novos materiais e procedimentos.

Desenhista e pintor, foi diplomado pela Escola de Arte Aplicada de Zagreb, onde fez especialização em pintura mural. Estudou em Milão (Itália) e foi professor de desenho e pintura nas Escolas de Vondnjan, Fazana e Jursici,  na Iugoslávia dos anos 1950. Já no Brasil, foi Catedrático em Desenho e Pintura na Faculdade de Artes Plásticas de Ribeirão Preto (SP) e professor de Desenho e Pintura na Escola de Arte de Passo Fundo (RS).

Chegou a Florianópolis em 1968, quando foi responsável pelos Cursos de Desenho e Pintura do MASC. Em 1984, recebeu o título de Cidadão Honorário pela Câmara Municipal de Florianópolis. Em 1994, foi agraciado com a Medalha de Mérito Anita Garibaldi pelo Governo do Estado de SC. E ,em 2000, nomeado Cidadão Honorário de São José, cidade onde morou nos últimos anos de vida. No ano seguinte, recebeu também a Medalha de Mérito Cultural Cruz e Sousa, concedida pelo Governo do Estado de SC.

A partir de 2010, o artista dedicou-se ao ensino médio e orientação da arte em São José e São Pedro de Alcântara (SC), onde foi criado o Instituto de Cultura Sílvio Pléticos, organização sem fins lucrativos, políticos ou religiosos, do qual foi seu Presidente de Honra. Em São José, também foi professor de arte na Casa da Cultura Estácio de Sá, incentivador e participante da criação da Associação de Artistas Plásticos de São José e da Federação das Associações de Artistas Plásticos de Santa Catarina.

Sílvio Pléticos foi um exemplo de resistência à massificação niveladora, bem como de um artista que por sua cultura tem uma dimensão cósmica do universo, sem esquecer as raízes.


:: Confira as obras de Silvio Pléticos que fazem parte do acervo do MASC