CIC Facebook Instagram

Para participar da oficina, a criança deve ser inscrita primeiramente pela internet (neste link), até o dia 11 de março. A etapa presencial da inscrição ocorrerá de 14 a 18 de março, quando os pais ou responsáveis devem comparecer à secretaria das Oficinas de Arte, entre 13h e 18h, trazendo um documento com foto da criança. 
 
As oficinas ocorrerão quinzenalmente, entre os dias 6 de abril e 15 de junho, das 15h às 16h, totalizando seis encontros em três meses, com duração de uma hora cada. Serão disponibilizadas vagas para 30 crianças, que devem estar sempre acompanhadas por um responsável. 
 
Sobre Morena Lopes
 
Morena Lopes é atriz profissional, cantora e bailarina há mais de 15 anos. Seu foco de pesquisa desde que ingressou na Escola de Arte Dramática da ECA/USP, em 2008, é a “Palavra: o texto poético falado de forma orgânica”. Em 2012 desenvolveu o projeto solo “A Poesia da Palavra”, o qual estreou e apresentou em alguns SESCs e Centros Culturais em São Paulo, levando a poesia de Hilda Hilst, Vinícius de Moraes, Fernando Pessoa, Manoel de Barros, Adélia Prado, Sofia de Mello B., Mário Quintana, e outros reconhecidos poetas, por diversos pontos da cidade. 
 
Em 2014 recebeu o prêmio de Apoio do Governo do Estado de São Paulo (ProAC) para gravar seu primeiro álbum de músicas e poesias, denominado “Raízes Mamelucas”, o qual foi idealizadora, cantora e compositora. Durante oito anos em São Paulo, também cursou o Centro de Pesquisa Teatral (CPT de Antunes Filho), participou do projeto “ Poeta em Cena” com direção de Helder Mariani e supervisão de Denise Weinberg. Realizou diversas leituras-dramáticas e peças teatrais baseadas em livros como “Lavoura Arcaica”, de Raduan Nassar, sob a direção de Antônio Rogério Toscano e “Dublinenses”, de James Joyce, sob a direção do ator Luis Damasceno. Como contadora de histórias atuou como voluntária na Fundação Dixtal com o programa “Um milhão de rodas de leitura” que tinha como objetivo incentivar crianças, jovens e adultos a ler em escolas da periferia de São Paulo, Contou histórias também no Lar Sírio Pró Infância no Tatuapé em São Paulo.
 
Em Santa Catarina (Florianópolis e Balneário Camboriú) atua como atriz e contadora de histórias, com o espetáculo “ Beloquinha, A Maga das Palavras” de sua autoria.
 
Serviço:
 
O quê: Oficina Uma Paixão Chamada Livros
Aulas: de 06/04 a 15/06/2016, das 15h às 16h (oficinas quinzenais, às quartas-feiras, totalizando 6 encontros)
Onde: Oficinas de Arte da Fundação Catarinense de Cultura 
Localizadas no Centro Integrado de Cultura (CIC)
Avenida Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Inscrições: 
Etapa online: até 11 de março, pelo link http://goo.gl/forms/YF6MlEji55
Etapa presencial: de 14 a 18 de março de 2016, das 13h às 18h.
Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou telefone (48) 3664-2639.
 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC

A dança hoje conhecida como tango resulta de uma mistura da habanera (a primeira música genuinamente afro-latino-americana) com a polka (música folclórica da República Tcheca) e o candombe (ritmo africano).
 
Professor: Emilio Benavente
 
Aulas: às quintas-feiras e domingos, das 19h às 23h
O objetivo da oficina, ministrada pelo fotógrafo Sérgio Sakakibara, é resgatar a cultura da fotografia química à moda antiga, com filmes e negativos. Foram oferecidas duas turmas, uma pela manhã e uma pela tarde, e o curso foi ministrado em quatro dias, de 26 a 29 de janeiro de 2016, com carga horária de 16h.  
 
A oficina é dirigida a professores de fotografia, fotógrafos e artistas plásticos, que já tenham conhecimento de fotografia química e possuam câmera de grande formato. 
 
Durante as aulas são demonstrados o modo de construção de diversos modelos de câmeras artesanais, o uso de filme de raio x para fazer fotografias e a confecção de cópias positivas em papel de aquarela sensibilizado pelo processo Van Dyke. O material de consumo fica por conta de cada participante, que recebe uma lista após a confirmação da inscrição. Os participantes recebem material didático em formato digital, disponibilizado antes do início das aulas, e certificado de participação na oficina. 
 
Sobre o ministrante

Sérgio Sakakibara é professor de Fotografia, bacharel em Artes Visuais pela Universidade do Rio Grande do Sul (UFRGS), servidor da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), atualmente lotado no Museu Nacional do Mar, em São Francisco do Sul. Já ministrou a oficina de Fotografia de Grande Formato na Universidade de Brasília, em Brasília, e na Casa de Cultura Mario Quintana, em Porto Alegre.
 
Programação:
 
1º dia  
Explanação teórica sobre técnicas históricas e alternativas, o como e o porquê do uso dos processos, construção de câmeras, impressões.
 
2º e 3º dias
Prática de obtenção de fotos e revelação dos negativos obtidos.
 
4º dia
Preparo dos produtos químicos, sensibilização dos papéis e confecção das cópias positivas pelo processo Van Dyke. Avaliação dos trabalhos produzidos.

Fonte: Assessoria de Comunicação FCC

Trata das mídias por meio da exposição de conceitos, da discussão sobre os valores das mídias na atualidade e sobre o uso de mídias nas organizações que implica em: adequação para cultura, identidade e públicos. Tem por objetivo disponibilizar informações que possibilitem ao aluno adquirir conhecimento sobre as mídias e sobre o seu valor para sociedade, além de adquirir conhecimentos que permitam elaborar e planejar estratégias de atuação para um serviço, instituição ou marca, utilizando algumas das mídias disponíveis atualmente. Esta oficina não trata de softwares e/ou tecnicidades relativas a softwares, hardwares, requisitos, entre outros

Ministrante: Maria Elizabeth Horn Pepulim (Betita)
Dias e horário das aulas:
No segundo semestre de 2015 (a partir de 18/08)
Terças-feiras, das 9h30 às 11h30.
Número de vagas disponibilizadas: 25

Informações: (48) 3664-2639

Objetiva o aprimoramento da produção textual por meio de práticas e discussões. Nela, serão trabalhados o desenvolvimento e a organização das ideias que abrangem a clareza, a fluência, a concisão, a precisão, a coesão, a coerência ao expressá-las e, sobretudo, a necessidade de uma consciência ao escrever, ao realizar a transferência do pensamento para a palavra escrita. Esta oficina não é uma oficina sobre gramática e língua portuguesa. 
 
Ministrante: Maria Elizabeth Horn Pepulim (Betita).
Dias e horário das aulas: no segundo semestre de 2015 (a partir de 19/08)
Quartas-feiras, das 9h30 às 11h30.
Número de vagas disponibilizadas: 25 
 
Informações: (48) 3664-2639