FCC FacebookTwitterYoutube

O filme Selma depois da Chuva, dirigido por Loli Menezes, terá pré-estreia nacional na Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), na quarta-feira, 27, às 20h. O evento conta com o apoio do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC). 

A produção conta a história de Selma, uma mulher trans que construiu sua vida afastada da família. Um dia ela recebe um chamado para ir ao encontro de sua mãe idosa, que sofre de Alzheimer e precisa de tratamento. Nesse encontro, perdidas entre memórias confusas, as duas mulheres lembram dores e desejos esquecidos, e revisitam culpas e afetos perdidos. O projeto foi primeiro lugar no edital do MINC, na categoria Carmem Santos,que premia diretoras mulheres. O curta lida com dois problemas latentes: transgênero e velhice. Na relação das duas personagens, tolerância e aceitação são os temas principais. 

Classificação indicativa: 12 anos.

Entrada gratuita.

 

O Centro Integrado de Cultura (CIC) sedia a 6ª edição do Floripa na Foto Festival de Fotografia, de 20 a 23 de março de 2019. O evento tem programação voltada para a fotografia como processo e reelaboração cultural humanizadora.

O objetivo do festival é proporcionar a reflexão sobre o fazer da fotografia e os processos de criação, além de ampliar as relações entre os diversos profissionais da área. O evento é realizado pela Duo Arte e Produção em conjunto com o Laboratório Interdisciplinar de Formação de Educadores (LIFE) do Centro de Artes da UDESC, e conta com a parceria institucional da Fundação Catarinense de Cultura (FCC).

Com uma vasta programação gratuita que inclui 10 palestras e conversa com autores, 12 exposições, uma mostra latino-americana de livros de fotografia autoral, fórum com apresentação de pesquisas e debates, o Floripa na Foto é uma imersão no universo da fotografia contemporânea. Ponto de encontro onde fotógrafos, artistas, pesquisadores, galeristas, educadores e público se reúnem para trocar experencias, discutir, fomentar e conhecer/promover a produção fotográfica nacional e internacional, contribuindo desta forma para o fortalecimento da fotografia catarinense.

Com essa proposta de dar a ver a produção atual da fotografia, foram lançadas quatro convocatórias, duas voltadas para exposições, outra para pesquisa e a quarta para a produção de livros de fotografia. Os resultados poderão ser conhecidos durante o evento no “Fórum fotografia, arte e educação”, no “8º Encontro de livros de fotografia de autor” com curadoria de Laura Lavergne – Argentina, e nas exposições “ExistiRexistir – Coletiva Floripa na Foto” e “Vestiremos as cores que quisermos – Varal da Trajano” que ocorrem em parceria com as impressões do printer Endrigo Righetto da Multicor e os papeis alemães Hahnemühle.

O evento traz convidados do Brasil, Argentina, Colômbia e Portugal. Apostando na formação, oferece, também, workshops para interessados em livros de fotografia, na fotografia no campo das artes visuais, nas narrativas pessoais e também na fotografia documental. Haverá, ainda, um workshop para crianças e adolescentes.

>> A programação completa pode ser conferida no site oficial do Floripa na Foto: https://floripanafoto.com/

Serviço:

O quê: 6º Floripa na Foto - Festival de Fotografia
Quando: 20 a 23 de março de 2019
Onde: Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agrônomica - Florianópolis (SC)
Informações e inscrições: www.floripanafoto.com e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

A sessão Cinemática, produzida pela Cinemateca Catarinense ABD/SC, lança parceria com a distribuidora Vitrine Filmes, uma das mais atuantes no mercado nacional do cinema autoral, e apresenta em abril a o primeiro ciclo de filmes seguidos de debates. A Semana Vitrine Filmes tem parceria com o Museu da Imagem e do Som (MIS/SC) e ocorre de 1º a 3 de abril no Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, com entrada gratuita.

Serão três sessões especiais até o final do ano, com filmes que não entraram no circuito das salas comerciais. A exibição será seguida de debate com convidados que contribuem ao tema de cada filme.

Programação:

Dia 1º de abril, 19h30:

CINEMA NOVO
Direção: Eryk Rocha (2016)
90′ / Brasil / Português / Documentário
Ensaio poético que investiga um dos principais movimentos cinematográficos latino-americanos, através do pensamento e fragmentos de filmes dos seus principais autores. O filme mergulha na aventura da criação de uma geração de cineastas que inventou uma nova forma de fazer cinema no Brasil – a partir de uma atitude política que juntava arte e revolução – e que tinha como desejo um cinema que tomasse as ruas e fosse ao encontro do povo brasileiro. Prêmio Olho de Ouro - Festival de Cannes 2016.
Debate com Claudia Aguiyrre, José Geraldo Couto e Loli Menezes

Dia 2 de abril, 19h30:

TORQUATO NETO – TODAS AS HORAS DO FIM
Direção: Eduardo Ades, Marcus Fernando
88′ / BRASIL / 2018 / digital / documentário
Torquato Neto (1944-1972) vivia apaixonadamente as rupturas. Atuando em múltiplas frentes – no cinema, na música, no jornalismo –, o poeta piauiense engajou-se ativamente na revolução que mudou os rumos da cultura brasileira nos anos 60 e 70. Foi um dos pensadores e letristas mais ativos da Tropicália, parceiro de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Jards Macalé. Junto à arte marginal, radicalizou sua atuação e crítica cultural, com Waly Salomão, Ivan Cardoso e Hélio Oiticica. Por fim, rompe com sua própria vida. Suicida-se no dia de seu aniversário de 28 anos.
Debate com Jean Mafra, Fabio Brüggemann e Demétrio Panarotto

 

Dia 3 de abril, 19h30:

TODOS OS PAULOS DO MUNDO
Direção: Gustavo Ribeiro e Rodrigo de Oliveira (2018)
80′ / BRASIL / 2018 / digital / documentário
Com Paulo José, Dina Sfat, Bel Kutner, Joana Fomm, Mariana Ximenes, Selton Mello, Milton Gonçalves, Helena Ignez, Fernanda Montenegro.
Paulo José é um ícone brasileiro. O talento sem igual, a voz inconfundível, o carisma e a versatilidade acompanham as seis décadas de sua trajetória como ator, diretor e pensador do país. TODOS OS PAULOS DO MUNDO narra a vida e a obra do maior ator do cinema brasileiro através do que viveu e das reflexões que Paulo José, há vinte cinco anos convivendo com o Mal de Parkinson, consegue articular ainda hoje, às vésperas de seu aniversário de 80 anos. Diante da perda da voz, um artista que insiste em falar e que encontra em “TODOS OS PAULOS DO MUNDO” a caixa amplificadora de seu verbo para o mundo. Festivais e Prêmios: Festival do Rio (2017), Mostra Internacional de Cinema de São Paulo (2017), Panorama Internacional Coisa de Cinema (2017), Festival de Havana (2017), Janela Internacional de Cinema (2017), Festival de Tiradentes (2017).
Debate com Renato Turnes, Laine Milan e Marco Martins

 

Serviço:

O quê: Semana Vitrine Filmes
Quando: de 1º a 3 de abril, às 19h30
Onde: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita.

O Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC) recebe nesta sexta-feira (15) a estreia do documentário Aquela Mistura, sobre o extinto bar Underground. A exibição começa às 20h, mas antes, a partir das 19h, o público confere shows das bandas Os Cafonas e Eutha. A entrada é gratuita.

O documentário de Lucas de Barros e Fábio Bianchini foi contemplado na edição 2014/2015 do Edital Prêmio Catarinense de Cinema, e faz parte da exposição Making Of 3, em cartaz no Museu da Imagem e do Som (MIS/SC) de 13 de março a 12 de maio. O filme relembra a história do bar que começou em 1995, em Florianópolis, como uma casa de sucos, ganhou a atenção do público de rock alternativo local simplesmente pela trilha sonora, tocada em fitas cassete, e transformou-se em um palco conhecido nacionalmente, até fechar em 2004, após pressão das autoridades e dificuldades financeiras.

Foram entrevistados a família que tocava o bar, músicos, frequentadores, produtores culturais, jornalistas, curiosos e o delegado da Lagoa da Conceição durante a época. Entre eles, estão Wander Wildner, que chegou a morar no bar, Adriano Cintra, o produtor cultural e DJ Tiago Franco, o coreógrafo Alejandro Ahmed, o líder dos Phantom Surfers, Mel Bergman.

Além de histórias divertidas e de um olhar sobre a produção independente no período, o filme debate ocupação de espaço urbano de Florianópolis, relações entre grupos sociais, noção de cultura local, organização coletivista e comportamento, entre outros aspectos. Olhar de novo essa história 15 anos depois é, também, procurar entender como essas coisas se repetem, o que mudou e o que continua parecido em Santa Catarina.

Sobre o filme

Aquela Mistura
Lucas de Barros e Fábio Bianchini, 2019.
Documentário, 68 min, Cor, 12 anos
Sinopse: Na segunda metade dos anos 90, em Florianópolis, existiram dois bares que foram referências para toda uma cena musical independente no estado; o histórico e polêmico "Trópicos" que se transformou no mitológico "Underground Rock Bar" (popular bar do Franck) - símbolos de um original movimento cultural e comportamental que desafiou estereótipos e padrões atribuídos a uma cidade quase nunca associada ao cenário independente roqueiro.
Direção: Lucas de Barros e Fábio Bianchini Mattos | Produção: Carol Gesser e Fábio Bianchini

Sobre as bandas

Eutha: a banda Eutha (ex-Euthanasia) está completando 27 anos em 2019. O primeiro ensaio foi no Carnaval de 1992, em São José, na Grande Florianópolis. Representando a velha guarda do som pesado de Floripa, Eutha tem um repertório de hardcore old school, metal e punk, com influências de elementos do hip-hop, reggae, funk70, grindcore, death metal, música eletrônica e industrial, e letras que abordam o cotidiano. A banda é formada por Marcelo Mancha (baixo e voz), Jean Martins (guitarra e voz), Heráclito Maia (percussão, sampler e voz), e Johnny Duluti (bateria e voz).

Eutha já dividiu o palco com bandas como os nova iorquinos do Dog Eat Dog, os texanos do World Burns to Death, os californianos do Good Riddance e do The Adolescents, a lenda punk hardcore Riistetyt da Finlândia e ainda Vitamin-X e Terrorgroupp da Holanda. Do cenário nacional, destaque para shows com Ratos de Porão, BNegão, Sepultura, Pavilhão 9, Dead Fish, Garotos Podres, Marcelo D2, Raimundos, entre outras.

Os Cafonas: são os reis do trunk'a'billy de Florianópolis, até porque só eles tocam esse negócio: rock'n'roll divertido e dançante com letras sobrenaturais e surreais.

Serviço:

O quê: Estreia do documentário Aquela Mistura
Quando: 15 de março de 2019
19h: Show com as bandas Eutha e Os Cafonas
20h: Exibição do filme
Onde: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Classificação indicativa: 16 anos
Entrada gratuita - distribuição de ingressos a partir das 19h

O documentário A Maravilha do Século, da diretora Márcia Paraíso, terá sua estreia no próximo dia 19 de março, às 19h30, na Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis. O filme, realizado com recursos do edital Prêmio Catarinense de Cinema, da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), aborda a trajetória de Giovanni Maria de Agostini, mais conhecido na historiografia catarinense como “profeta”, “monge” ou “São João Maria”. A exibição gratuita contará com a presença da equipe de realização e tem o apoio do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC).

Filmado nos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e ainda no México, Peru, Cuba, Estados Unidos e Itália, o documentário reúne espiritualidade e materialidade – provas da passagem de Agostini pelo mundo, desde o registro de batismo na cidade de Novara, região do Piemonte, Itália, até sua lápide em um cemitério no Novo México, EUA. Batizados como “Joaninos” pela antropóloga dra. Tania Welter, os relatos dos seus seguidores se entrelaçam, independente do idioma falado ou da parte do mundo.

Sobre o personagem

Em 1861, o italiano Giovanni Maria de Agostini foi fotografado em Havana, Cuba, o primeiro registro fotográfico que se tem notícia sobre ele. A foto circulou pelas ruas em forma de cartão postal e foi batizada como “a maravilha do século”. Um homem que tinha caminhado pelas Américas, entre desertos, florestas, sertões, guerras, revoluções.

Agostini poderia ter passado despercebido por seus feitos aventureiros de andarilho das Américas se não fosse a tradição religiosa que iniciou e que permanece até hoje. A documentarista Marcia Paraiso ouviu falar de João Maria – como é conhecido pelos caboclos do planalto de Santa Catarina, quando filmava pela região. Chamado de “profeta”, “monge” ou “São João Maria”, a forma como seus seguidores perpetuam uma memória oral que reverencia uma fé simples, distante dos dogmas da Igreja tradicional, próxima aos conhecimentos relacionadas às ervas e respeitando a natureza, fez com que ela se interessasse em contar sua história, dessa entidade tão forte e presente no universo caboclo do sul do Brasil.

Ficha técnica:

A maravilha do século
Documentário, 87 minutos
Direção – Roteiro – Produção: Marcia Paraiso
Consultoria: Alexandre Karsburg, David Thomas e Tania Welter
Direção de Fotografia: Kike Kreuger e Ralf Tambke
Som direto: Ju Baratieri
Montagem: Glauco Broering
Edição de som e mixagem: Leonardo Queyroi
Trilha sonora original: Luiz Gayotto e Rovilson Pascoal
Produção executiva: Helio Levcovitz e Ralf Tambke
Produtor associado: David Thomas
Sinopse: “Profeta”, “monge” ou “São João Maria” é como é conhecido no sul do Brasil o italiano Giovanni Maria de Agostini, que saiu da Europa no século 19 para cruzar o continente americano, intitulando-se “eremita solitário”. Por muitos lugares por onde passou deixou uma tradição de fé que resiste até os dias de hoje.

Serviço:

O quê: Estreia do documentário A Maravilha do Século
Quando: 19/03/2019, às 19h30
Onde: Sala de Cinema do Centro Integrado de Cultura (CIC)
Av. Governador Irineu Bornhausen, 5600 - Agronômica - Florianópolis (SC)
Entrada gratuita