FCC FacebookTwitterYoutube

O humorista Diogo Portugal apresenta neste domingo, 18, seu novo espetáculo  "Antes Que Eu Me Esqueça!". A apresentação será no Teatro Ademir Rosa, localizado no Centro Integrado de Cultura, às 20h.

Escrito e dirigido pelo próprio comediante, em "Antes Que Eu Me Esqueça!", Diogo divide com os espectadores o motivo da escolha do nome do espetáculo: "Sou muito distraído e esquecido." O espetáculo conta com textos com toques regionais, incluindo histórias, hábitos e particularidades comuns aos moradores da cidade, porém com uma novidade: o público agora vai subir ao palco e falar o que pensa da sua cidade.

Para Diogo este será o maior da apresentação: "sempre fez uma espécie de stand up city" dentro dos espetáculos, estudando a região que o recebe, conversando com as pessoas, descobrindo o que acontece e montando um bloco especial de interesse.

 

"Quem é essa mulher?" é o título do novo CD do grupo Cores de Aidê, que será lançado neste sábado (17), no Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura (CIC). 

Conforme o grupo, o tema do CD, “Quem é essa Mulher?”, também título de uma das músicas que o compõe, é a apresentação da identidade coletiva das Cores de Aidê que, por meio da figura e da mitologia da “Aidê”, acredita na liberdade plena, diversa e plural. Por meio do samba reggae e das referências afro-brasileiras, o grupo pede licença aos que nos antecederam, para pautar, com os tambores das mulheres, a ancestralidade que nos trouxe até aqui. Por meio dos (des)caminhos, o palco e a arte convergem numa ode à inclusão e ao enfrentamento das desigualdades.

Cores de Aidê surgiu em 2015, no Morro do Quilombo, e se estabeleceu no cenário artístico como uma coletividade percussiva das mulheres. Acreditando na transgressão musical e no ato contra-hegemônico do samba reggae, o CD “Quem é essa Mulher?” é o ponto de partida para (re)pensar os limites que transbordam nossas existências e afirmar que: o lugar da mulher é onde ela quer! Para as Cores de Aidê, ocupar os palcos de Florianópolis é, sobretudo, um convite à subversão do status quo, é considerar as diversas matizes das vozes que reverberam em nossos tambores, é um aquilombar-se através da arte, é a concretização da liberdade coletiva onde ninguém fica de fora.

Serviço:

Show de Lançamento do CD “Quem é essa mulher?”
Data: 17 de novembro de 2018, às 20h
Local: Teatro Ademir Rosa,  Centro Integrado de Cultura (CIC)
Quanto: gratuito e aberto ao público.

Nesta quarta-feira 14, o Projeto CIC 8:30 vai reunir os melhores nomes do axé e outros ritmos de origem africana num momento único: o espetáculo Juliana D Passos e a Macumbaria. O show será no  Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura (CIC) às 20h30.  

No mês da consciencia negra, Juliana D Passos e a Macumbaria constitui-se num espetáculo artístico que envolve música, dança e exaltação das raízes africanas na cultura brasileira, num show que lembra o melhor estilo de cantoras como Clara Nunes e Maria Bethânia. O Macumbaria traz na voz de Juliana D Passos o que há de mais profundo na cultura afro- brasileira em canções que perpassam o sincretismo religioso dos Orixás e do Cristianismo, a musicalidade Gospel Americana, a herança Yorubá, as crenças e os costumes da negritude misturados às demais tradições do País.

Diferente de outras propostas de releituras que se apropriam da riqueza afro-brasileira, a inspiração de Juliana D Passos não considera apenas o samba, e sim, os ritmos predominantemente de origem negra difundidos na cultura mundial. O show é inspirado na religiosidade e na cultura afro-brasileira, com elementos do Samba, Reggae, Axé Music, Gospel, Maracatu, Blues, Soul e de outros ritmos. O musical conta, também, com a participação de bailarinos, que vem interpretando os Orixás. Na banda, alguns dos mais prestigiados músicos da ilha. O figurino e todas as canções são inspiradas na alma da cantora e compositora negra Juliana D Passos, que tem a religiosidade complexa e multifacetada no DNA, no estilo e na profissão.

Nesta apresentação, o Macumbaria contará com o encontro de Juliana D Passos com grandes cantores que igualmente difundem a cultura de terreiro no Brasil. São os cantores Tião Casemiro e Leo Batuke do Rio de Janeiro, e Bhetânia Lemme de Minas Gerais.

Sobre Juliana D Passos
Cantora profissional desde os 15 anos, Juliana D Passos logo bebeu das influências africanas para a formação de sua identidade artística, quando, no
início da carreira, atuou em uma banda que tocava clássicos da disco e soul
music dos anos 70 e 80. Atualmente, além de fomentar seu canal do YouTube, Instagram e Facebook com vídeos semanais para mais de 100 mil seguidores, Juliana é professora de canto e técnica vocal.


Serviço:
Espetáculo "Juliana D Passos e a Macumbaria no CIC"
Dia: 14/11/2018, às 20h30
Teatro Ademir Rosa (CIC)
Classificação livre.

Ingressos: R$ 30 inteira e R$ 15 (meia).

 

A partir de hoje, sexta-feira (09) estará disponível o formulário de solicitação de pauta do Teatro Ademir Rosa, no Centro Integrado de Cultura para o ano de 2019.  O formulário poderá ser enviado até o dia 09 de dezembro de 2018.

:: Acesse aqui o formulário

É importante destacar que o preenchimento e o envio do formulário não correspondem à garantia da pauta. O procedimento apenas formaliza a intenção do solicitante, uma vez que os pedidos serão analisados pela Comissão de Pauta da Fundação Catarinense de Cultura (FCC). A confirmação da data da reserva se dará por meio do e-mail institucional (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.) para o e-mail do proponente cadastrado no formulário.

 

 

A banda Liniker e os Caramelows se apresenta no Teatro Ademir Rosa (CIC) na próxima sexta-feira (9), às 20h. Os ingressos estão disponíveis para compra nas bilheterias do Teatro Ademir Rosa e Teatro Álvaro de Carvalho de terça a domingo, das 13 às 19h.

O show é uma despedida do CD Remonta, lançado em 2016 e produzido por Marcio Arantes.  O trabalho traz as conhecidas faixas do EP de estreia com uma nova roupagem, como se elas tivessem sido, de fato, remontadas.

Além disso, músicas inéditas foram gravadas. É o caso de “BoxOkê”, que foi registrada com a rapper Tássia Reis e a banda instrumental Aeromoças e Tenistas Russas. Mais nomes enriquecem a ficha técnica de Remonta. Nomes como Marcelo Jeneci, Tulipa Ruiz e As Bahias e a Cozinha Mineira passaram pelo estúdio para fazer participações especiais.

Valor dos Ingressos

R$ 120,00 inteira; R$ 60,00 meia entrada (ESTUDANTE, IDOSO, DEFICIENTE, MENOR DE 18 ANOS, DOADOR DE SANGUE, PROFESSOR).